Síndrome da alienação parental: o que é?

SAP (em inglês PAS) é a sigla que significa Síndrome da Alienação Parental, um termo que surgiu no ano de 1985, por ideia de…

Criança sobre com alienação parental (Foto: Divulgação)

SAP (em inglês PAS) é a sigla que significa Síndrome da Alienação Parental, um termo que surgiu no ano de 1985, por ideia de Richard Gardner, para denominar uma situação em que o pai ou a mãe de uma criança a induzem a não ter laços de afeto com o outro cônjuge, o que gera no filho sentimentos de ansiedade e até mesmo medo.

Quando acontece

Casal brigando e criança enganada (Foto: Divulgação)

Isso pode acontecer após a separação dos pais e a constante luta pela guarda do filho. O genitor se sentindo ameaçado, começa a jogar o filho contra o outro genitor. Essa tendência vingativa de um dos pais para com o outro, atinge principalmente a criança que fica no meio da guerra de sentimentos de seus pais.

Quando um dos cônjuges não consegue superar a separação e fica com raiva do seu antigo parceiro, sentimentos de ruptura não são bem entendidos, muito menos superados, e ele cria raiva, rancor, ódio, descrédito e vingança, usando o filho do casal como instrumento para atingir o outro.

Características do genitor alienante

  • Passa sentimentos de raiva em relação ao ex-parceiro para seu filho;
  • Exclui o outro genitor da vida dos filhos;
  • Dificulta visitas e interfere de forma a estragar o momento da criança com o pai;
  • Fala mal do outro genitor para a criança, denegrindo a imagem de seu pai ou mãe;
  • Questiona sempre a criança sobre o amor que ela tem pelo genitor, comparando ao amor que ela tem pelo alienante.

Sentimentos da criança

Nas crianças alienadas, os sintomas comuns são a agressividade e raiva em relação ao genitor alienado, além de não desejar visitas, encontros, momentos a dois ou qualquer comunicação com o outro genitor. É como se a criança sofresse uma lavagem cerebral, acreditando em todas as mentiras que lhe contam, guardando sentimentos e crenças negativas e que são enganosas, que passam de fantasia de seu pai ou mãe alienante.

Leia Também:  Homeopatia: mitos e verdades

É comum que as crianças não consigam entender a situação, por toda a sua complexidade, e sofram com a confusão entre amar ou não seus pais. Por isso, a Lei da Alienação Parental tenta proteger crianças de pais que têm essa atitude, prevendo medidas de acompanhamento psicológico e multa, além de fazer o genitor perder a guarda da criança. Essa lei foi sancionada no dia 26 de agosto de 2010.

Top