Sífilis congênita: sintomas, tratamento

A gestação é uma fase que necessita de cuidados e acompanhamento médico desde os primeiros meses, através da realização do pré-natal. Este é essencial…

Por Editorial MDT em 23/09/2013

A gestação é uma fase que necessita de cuidados e acompanhamento médico desde os primeiros meses, através da realização do pré-natal. Este é essencial para acompanhar o desenvolvimento e o crescimento do bebê gerado. Além disso, colabora no diagnóstico precoce de doenças infecciosas e que podem causar má formações. Conheça os sintomas e o tratamento para a sífilis congênita.

A realização do pré-natal é essencial para o diagnóstico de doenças durante a gestação. (Foto: divulgação)

Conhecendo mais sobre a sífilis

A sífilis congênita ocorre quando a gestante é infectada pelo Treponem pallidum e atinge a via transplacentária, alcançando e infectando o feto gerado. A transmissão pode ocorrer em qualquer fase da gestação. Como consequência da infecção, pode provocar aborto espontâneo, morte fetal, prematuridade e recém-nascidos infectados, denominado como sífilis congênita.

Sintomas da sífilis congênita

São diversos os sinais e sintomas que um recém-nascido com sífilis congênita pode apresentar. Entre eles, podemos citar:

  • Bolhas cheias de líquido na pele;
  • Erupção plana de coloração acobreada nas palmas das mãos e nas plantas dos pés;
  • Aumento dos gânglios linfáticos;
  • Aumento do fígado;
  • Aumento do baço;
  • Restrição de crescimento;
  • Lesões na boca;
  • Inflamação das membranas que envolvem o cérebro (meninges);
  • Inflamação das membranas dos olhos;
  • Convulsões;
  • Aumento da pressão ou presença de líquido dentro do cérebro;
  • Presença de retardo mental;
  • Paralisia motora.

    O tratamento da sífilis congênita consiste na utilização de antibióticos. (Foto: divulgação)

Saiba mais sobre a sífilis congênita

Um número restrito de crianças com sífilis congênita permanecem na fase latente da doença durante toda a vida e assim, nunca apresentam nenhum sintoma. Outros, podem apresentar sintomas como úlceras dentro do nariz e do palato ou mesmo, protuberâncias nos ossos das pernas e no crânio. É importante ressaltar que a infecção do cérebro não costuma provocar sintomas na infância, mas pode ocasionar surdez e cegueira.

Diagnóstico da sífilis congênita

A sífilis congênita costuma ser diagnosticada através das características clínicas apresentadas pelo recém-nascido. Além disso, o médico pode confirmar o quadro através da confirmação microscópica da amostra das erupções ou das bolhas, ou mesmo da mucosa nasal. O especialista também pode solicitar a realização de sorologia para a doença que também confirma o quadro patológico.

Tratamento para a sífilis congênita

O tratamento para a sífilis congênitaconsiste no uso de antibióticos para combater a bactéria. No entanto, é necessário ressaltar que o tratamento na ultima etapa da gravidez não reverte totalmente as anomalias que o feto já possa ter sofrido. Após o nascimento, o bebê afetado também deve continuar o tratamento.

São diversas as manifestações clínicas relacionadas à sífilis congênita. (Foto: divulgação)

A sífilis congênita é uma doença infecciosa grave e que necessita de tratamento adequado. Após conhecer mais sobre os sintomas e o tratamento para a sífilis congênita, é importante buscara a orientação de um especialista no início da gravidez, de modo a prevenir, através do pré-natal, qualquer problema que possa surgir durante a gestação.

Top