Sexo na gravidez: pode ou não pode?

Sexo na gravidez: pode ou não pode?

Manter relações sexuais durante o período gestacional é um verdadeiro tabu para muitas pessoas. Algumas mulheres ficam na dúvida se a prática é contraindicada…

Por Editorial MDT em 05/06/2013

Manter relações sexuais durante o período gestacional é um verdadeiro tabu para muitas pessoas. Algumas mulheres ficam na dúvida se a prática é contraindicada nesse período e há aquelas que buscam evitar um contato mais íntimo com o parceiro, especialmente durante o segundo semestre. Esclareça as principais dúvidas sobre o assunto e saiba se pode ou não praticar sexo na gravidez.

O sexo durante a gravidez é saudável e super recomendado. (Foto: divulgação)

O sexo na gravidez é proibido?

O sexo é uma forma extremamente saudável de diminuir o estresse e relaxar, além de ser muito prazeroso, melhorar a relação entre o casal e ainda proporcionar o fortalecimento da musculatura perineal, facilitando o trabalho de parto. As relações sexuais no período de gravidez são benéficas e não existe nenhuma contraindicação dessa prática durante o período gestacional, independente da gravidez estar no começo ou no final.

As dificuldades do sexo durante a gestação

Apesar de não ser contraindicado e, pelo contrário, ser até recomendado para manter a saúde física e emocional das gestantes, as relações sexuais durante esse período tão especial na vida da mulher são totalmente diferentes.

Além de a mulher experimentar sensações completamente novas, podendo ficar um pouco confusa com a situação, o futuro papai também pode enfrentar dificuldades para lidar com todas as transformações e novas informações na vida conjugal. Por isso é preciso ter muita paciência para lidar com a situação da forma mais natural possível.

Podem ocorrer mudanças no casal que podem acabar atrapalhando a vida sexual. (Foto: divulgação)

  • Mudanças na mulher

As mudanças na futura mamãe são tanto físicas quanto emocionais. As variações hormonais são capazes de provocar sensações desagradáveis, como a perda da libido, além de náuseas, vômitos, dores nos seios, cansaço e até mesmo a sensação de inchaço na região do abdome, que dificultam o ato sexual.

Outro problema bastante comum é as mulheres evitarem manter um contato mais íntimo com o parceiro por medo de machucar fisicamente o bebê ou até provocar um aborto, o que na realidade não passa de mito.

  • Mudanças no homem

A alteração mais comum que pode ocorrer no homem e prejudicar as relações sexuais é o sentimento de ser o “protetor”, passado a enxergar a mulher como mãe e não mais como amante. Como resultado, ele diminui seus impulsos sexuais, para proteger a parceira e não machucar o bebê.

O casal deve conversar sobre todas as angústias e procurar soluções que beneficiem ambos os lados. (Foto: divulgação)

O sexo durante a gravidez faz muito bem para a saúde, pois fortalece a musculatura perineal, que ajuda no momento do parto, além de proporcionar prazer à mulher, deixá-la relaxada e melhorar o relacionamento do casal. Algumas mudanças físicas e emocionais podem surgir, dificultando a relação, mas cabe ao casal conversar abertamente sobre o assunto e encontrar uma solução que beneficie ambos os lados.

Top