Será o Fim da Lei Seca?

Substância que poderia “disfarça” o álcool no teste do bafômetro é vendida ilegalmente no Sul do país.

Teste do bafometro

No dia seguinte de sua venda ilegal no em Porto Alegre, o remédio que supostamente “engana” os bafômetros na Lei Seca, causou exaltação nos internautas. Nos Blogs e no maior site de relacionamento, o Orkut, usuários demonstraram grande interesse em adquirir o medicamento, mesmo sem receita médica.

O fato de esse medicamento ser receitado, especificamente, para tratamento de alcoolismo crônico, não impediu que seus admiradores perdessem a expectativa de usá-lo.
Alguns blogueiros até fizeram comentários ou indicaram a melhor forma de usufruí-lo. Um deles faz as seguintes perguntas: “Será que ele é a solução? Será o certificado de morte da Lei Seca”, já outro blogueiro preferiu instruir seus leitores: “Segundo quem me contou, sua ingestão após a bebedeira elimina totalmente o álcool (demora cerca de uma hora), livrando o bebum do risco de ser pego”.

No Orkut o assunto não fugiu muito desse padrão. Um tópico foi aberto para discussão desse assunto na comunidade “Lei Seca sou Contra – BR”, a mesma recebeu cerca de 31 manifestações entre quarta-feira e ontem. Algumas “dúvidas” foram compartilhadas, entre elas: “Será que toda farmácia tem esse remédio? Vou comprar cinco caixas”, comentou um participante. “Já tô pesquisando na Internet pra comprar”, disse outro. No mesmo dia em que se tornou pública a notificação da farmácia que vendia esse medicamento, uma comunidade foi criada com o nome do remédio.

No Rio Grande, o Conselho Regional de Farmácia ainda não recebeu denúncias sobre a venda inadequada do medicamento. A Vigilância Sanitária Municipal não planejou nenhuma vistoria para confirmar essa ilegalidade.
Roberto Soares de Moura esclarece: “O nível de álcool pode não cair suficientemente e o usuário pode achar que está sóbrio e dirigir bêbado, causando acidentes. O remédio não tem o objetivo de enganar a fiscalização. O uso abusivo deve ser evitado”.

Segundo Ronald Abud, diretor médico dos Laboratórios Baldacci, responsáveis pela venda desse medicamento no Brasil, afirma que o remédio é indicado para o tratamento de alterações hepáticas decorrentes da intoxicação alcoólica aguda e crônica; tratamento de fígado gorduroso e hepatite alcoólica, entre outros casos. “O laboratório não recomenda o uso de qualquer medicamento sem orientação médica”, conclui Ronald.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Reply