Sala de aula onde aluno atirou na professora será desativada

O cenário de um acontecimento que deixou o Brasil perplexo já tem um desfecho certo: a sala de aula onde David Mota Nogueira, de…

Imagem: Juliana Cardilli/G1

O cenário de um acontecimento que deixou o Brasil perplexo já tem um desfecho certo: a sala de aula onde David Mota Nogueira, de dez anos atirou na professora na quinta-feira (22) na Escola Municipal Professora Alcina Dantas Feijão, São Caetano do Sul, será desativada.

De acordo com a diretora da instituição, Márcia Gallo, a sala onde estudavam os alunos do 4º ano C será trancada e depois, transformada em “um ambiente de reflexão” com livros, desenhos e gravuras.

Investigações

Nesta segunda-feira, a polícia civil em São Caetano do Sul continuou tomando depoimentos. Foram ouvidas a diretora e também a orientadora educacional, Zeni Giraldi. Já durante a semana serão ouvidas algumas crianças que tiveram seus nomes citados durante as demais declarações. Quinta (29) a professora Rosileide Queiros de Oliveira será ouvida ainda no hospital e na sexta-feira (30) será a vez do pai do garoto prestar novo depoimento.

Entrevista

Em entrevista concedida ao Fantástico, o pai de Davi, o guarda civil municipal Milton Evangelista Nogueira declarou que não há resposta para o que aconteceu e que provavelmente nunca a terão.

Imagem: Kleber Tomaz / G1

Milton era o dono do revolver calibre 38 usado pelo filho. Embora os guardas municipais trabalhem armados no município, a arma não pertencia a corporação. Era de uso particular, usado quando fazia serviços de segurança fora horário de expediente.

Após levar os dois filhos a escola, voltou para a casa e deu por falta da arma que ficava em cima do guarda-roupa. Depois de ligar para a esposa, voltou para o colégio e pediu a coordenadora para falar com as crianças, mas os dois disseram não ter mexido no objeto.

As 16h o telefone tocou e foi o filho mais velho, de 16 anos quem deu a notícia de que Davi havia disparado contra a professora e em seguida atirado contra a própria cabeça.

Continuar Lendo  Vagas para Profissionais de TI na EVERIS

Segundo informações do G1, o pai ainda pode responder na justiça caso seja comprovada falta de cuidado em manter a arma longe do alcance dos filhos, com pena prevista pela Lei do Desarmamento de 1 a 2 anos de prisão.

O caso

No dia 22 de setembro, David Mota Nogueira entrou na escola municipal Professora Alcina Dantas Feijão com a arma do pai escondida na mochila. Pediu para ir ao banheiro e quando retornou a sala de aula, atirou contra a professora Rosileide Queiros de Oliveira, de 38 anos. Segundo a polícia, após atirar o menino saiu da sala, sentou-se nas escadas e atirou contra a própria cabeça.

Os dois foram socorridos com vida, mas Davi morreu após duas paradas cardíacas. Já a professora foi levada para um hospital da região e transferida para o Hospital das Clínicas, onde permanece internada após a retirada da bala, que estava alojada no abdômen.

Fontes:

Top