Importância do protetor solar para a saúde

A pele que sofre prejuízos com o excesso de exposição ao sol, pois os raios UV (Ultra Violeta) danificam-a o que resultam nas queimaduras…

Por Editorial MDT em 23/02/2012

Na hora de escolher um protetor solar, é muito importante levar em conta o tom de pele.

A pele que sofre prejuízos com o excesso de exposição ao sol, pois os raios UV (Ultra Violeta) danificam-a o que resultam nas queimaduras solares e outros danos, intimamente ligados, podendo ainda ocasionar o câncer de pele. Os gregos muito antigos usavam um óleo de oliva como um tipo de filtro solar, entretanto, o óleo não tinha muito efeito. Logo no início do século XX, um químico australiano tentou inventar, mas acabou não tento sucesso.

Foi assim até 1944, quando então surgiu o primeiro protetor solar. O filtro solar passou por um longo caminho desde sua criação, os produtos modernos apresentam maior proteção e também podem ser resistentes contra água e suor.

As altas temperaturas passam a fazer parte do nosso dia-a-dia, a exposição diante dos raios ultravioletas é mais intensa e agressiva, o que gera maior preocupação aos especialistas da área, em relação aos benefícios e os malefícios causados por essa radiação. A preocupação é relevante por causa dos rombos na camada de ozônio, responsável por filtrar os raios do tipo ultravioleta A (UVA) e do tipo ultravioleta B (UVB).

Os raios UVA aceleram o envelhecimento da pele, por penetrar em camadas mais profundas, já o UVB é o causador do câncer de pele. A capa de ozônio consegue bloquear 5% da radiação UVA e 95% dos raios UVB. De acordo com os cientistas, a cada vinte anos, 4% da camada de ozônio é destruída pela ação de poluentes lançados na atmosfera.

Por esse motivo, pessoas de todos os fototipos devem estar atentas e se protegerem quando expostas ao sol. Os grupos de maior risco são os do fototipo I e II, ou seja: pele clara, sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros. Além desses, os que possuem antecedentes familiares com histórico de câncer de pele, queimaduras solares, incapacidade para bronzear e pintas.

As crianças devem utilizar protetor solar específico para a idade, a partir dos seis meses, utilizando aqueles com FPS (fator de proteção solar) a partir do fator 30. Não devemos esquecer que, apesar da criança estar protegida com o protetor solar, o horário ideal de se expor ao sol é das 7h às 10h da manhã e das 16h em diante. A aplicação do protetor deve ser feita 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada 2 horas ou a cada exposição ao mar ou piscina ou transpiração intensa.

 Dicas para escolha do protetor correto

A pele clarinha e frágil requer um fator de proteção mais elevado.

• Use filtro solar 30 ou mais para o rosto (oil free toque seco).

• O filtro solar corporal deve ser escolhido de acordo com o tom de pele e o tipo de atividade (pele mais clara pede fator de proteção maior – fator 30 ou mais. Peles negras pedem o uso de fator 15).

• Protetores em forma de gel não têm tanta resistência à água e ao vento, por isso são mais usados para pele oleosa e mais no dia a dia.
• Em exposições prolongadas, como praia e atividades esportivas e aquáticas, os produtos cremosos são melhores.

Com a chegada do verão, a maioria das pessoas lembra-se da importância de usar o filtro solar, mas, segundo os especialistas “Devemos usar filtro todos os dias do ano, faça chuva, faça sol”. Manter a saúde da pele, afinal, deve ser um cuidado diário.

O uso do filtro solar deve ser diário por todos os tipos de pele para evitar manchas, queimaduras e até mesmo o câncer.

Top