Saiba o que fazer numa crise de cólica renal

Saiba o que fazer numa crise de cólica renal

Os cálculos renais ou simplesmente as “pedras nos rins”, atinge cerca de 5% da população mundial, onde os homens são os mais afetados do…

Por Editorial MDT em 05/10/2011

Os cálculos renais ou simplesmente as “pedras nos rins”, atinge cerca de 5% da população mundial, onde os homens são os mais afetados do que as mulheres. São desenvolvidos através do aumento de algumas substâncias da urina, as quais são removidas pelo fluxo urinário naturalmente. No entanto, em certas ocasiões essas substâncias estão contidas em áreas onde não conseguem ser extraídas. Essas pedras no começo são bem miúdas, mas podem crescer e chegar a ter o tamanho de um caroço de azeitona.

A cada duzentas pessoas afetadas, cerca de cento e sessenta eliminam as pedras naturalmente junto com a urina. As outras quarenta pessoas restantes necessitam de tratamentos específicos. E mais, metade das pessoas que já sofreram com esse mal, tende a desenvolver a doença novamente, num prazo de 5 a10 anos.

Os sintomas da doença apenas aparecerão quando as pedras já estiverem instaladas no rim. Em alguns casos as pedras podem conservar-se sem sintoma nenhum, sem qualquer tipo de tratamento, mas poderão interromper e machucar as partes do percurso urinário ao tentarem passar junto com fluxo da urina.

As dores causadas pelas pedras podem ocorrer nas costas ou no abdômen. Esta, pode ser tanto invariável como variável, podendo provocar náuseas e vômitos. Em casos mais graves, a doença pode provocar febre e calafrios, o que indica a presença de infecções.

Cada calculo renal necessita de uma acompanhamento específico, no entanto a melhor forma para sua prevenção é adotar novos hábitos no dia-a-dia. É essencial beber bastante água, pois desta forma manterá o equilíbrio e eliminará os minerais que quando acumulados formam as pedras. O ideal é beber cerca de dois a três litros diários.

É importante também diminuir a quantidade de sal ingerido diariamente. O sal beneficia a eliminação do cálcio pela urina, elevando desse modo às chances deste mineral abrigar-se nos rins. Desse modo, é importante ressaltar que não só apenas o sal em si deve ser diminuído, mas a quantidade dele nos alimentos que necessitam desse aminoácido.

A melhor maneira de combater novos aparecimentos de cálculos renais será diminuir a quantidade de proteínas diárias. No entanto, para aqueles que passam neste exato momento pelo problema, é essencial a adaptação de uma dieta limitada em proteínas e oxalatos até que a situação se normalize novamente. Desse modo, segue abaixo alguns alimentos permitidos outros proibidos:

Alimentos proibidos

– Peixe e frutos do mar

– Gema de ovo

– Grão, feijão, lentilha, soja

– Verdura como: couve, brócolis, escarola, tomate, cebolinha, quiabo, beterraba.

– Frutas como: Amora, tangerina, uva, damasco, ameixa, figo.

Alimentos permitidos

– Clara de ovo

– Paes, torradas, bolachas água e sal

– Chá, mel e sobremesas que não contenham leite

– Óleos vegetais, maionese.

Tratamento contra a dor

No exato momento da dor, você poderá contê-la através de analgésicos. No entanto, se a dor persistir ou aumentar, o ideal é seguir imediatamente para um pronto-socorro. Como muitas vezes podem ocorrer reações adversas, devido a elevação da dor, será necessário, receitar medicação injetável. Porém se a dor continuar constante, será preciso a internação hospitalar.

Quando as pedras forem miúdas, elas passarão pelo canal urinário sem nenhuma dificuldade. O paciente será mantido sob prescrição de analgésicos até eliminar todas as pedras. Já se forem maiores, o caso demanda outro tipo de intervenção para serem retirados como é o caso da litotripsia, que consiste em ondas de choques direcionadas aos rins, para explodir as pedras e os fragmentos para serem eliminados com mais facilidade.

Top