Como evitar as assaduras do bebê

A dermatite de fralda, conhecida popularmente como assadura, é manifestada na forma de vermelhidão e edema discreto que pode evoluir para erosões, bolhas e…

Troque a fralda do bebê com frequência

A dermatite de fralda, conhecida popularmente como assadura, é manifestada na forma de vermelhidão e edema discreto que pode evoluir para erosões, bolhas e feridas mais profundas. Elas causam muita dor e desconforto para a criança. Sua ocorrência é alta e está estimada em até 35% das crianças com menos de dois anos.

Prevenção

Quando o assunto é prevenção, não há dúvidas: trocar a fralda do bebê com frequência. O número de fraldas, para quem não é familiarizado com a situação e nunca parou para pensar no assunto, chega a assustar: são, no mínimo, oito trocas por dia.

Para não haver falhas na frequência, a dica é trocar a fralda após cada mamada, que, geralmente é a cada 3 horas, assim, além de prevenir as assaduras, é possível garantir a higiene ideal do bebê até os dois anos e meio, período em que ele começa a deixar de usar fraldas.

Como surgem as assaduras?

O problema é causado porque a fralda cria um ambiente com muita umidade, abafado e propício à proliferação de fungos e bactérias que normalmente são encontradas nas fezes. O contato prolongado da pele com a urina resulta em hiper-hidratação e aumento do pH, o que fragiliza a pele. Já a fricção contra a fralda e outros irritantes como vestígios de sabonete e microrganismos, resultam em lesão.

Outra dica importante é não economizar na qualidade da fralda e optar pelas que possuem alto poder de absorção. Cremes que tenham eficiência comprovada e que sejam dermatologicamente testados também são bons aliados na luta contra as assaduras.

O que fazer para tratar?

Se a pele das pernas e bumbum do bebê estiver irritada, a solução é fazer uma limpeza com água morna e sabonete, certificando-se de enxaguar bem. Isso também pode significar que as trocas de fralda devem ser feitas com maior frequência.

Leia Também:  Saiba como funciona a blindagem capilar

É bom deixar que a pele das áreas de dobra do bebê ‘respire’, isto é, deixe o bebê peladinho por alguns instantes, nos intervalos de troca de fralda, especialmente nos dias quentes. Essa atitude permite melhor ventilação e garante uma pele seca.

Pele vermelha é sinal de alerta e requer um cuidado extra com pomada contra assadura. É importante usar produtos fáceis de remover. Caso contrário, pode-se machucar mais ainda a pele do bebê. Opte por produtos hipoalergênicos, que contenham hidratantes e substâncias regeneradoras em sua composição e, de preferência, sem perfumes ou corantes.

O uso do talco pode não ser tão benéfico quanto parece. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensaria (que o talco é bom para garantir que as dobrinhas permaneçam secas), ele acaba abafando ainda mais a pele e piorando a irritação, por isso deve ser evitado.

Se, com essas medidas, a irritação não melhorar em 24 horas, ou ocorrer infecção (que pode ser percebida por presença de pus na ferida e febre), é necessário procurar um médico.

O jeito é prevenir e seguir as dicas para garantir uma noite tranquila de sono, tanto para o bebê como para os pais.

Para diminuir a ocorrência de assaduras, opte pelas fraldas que possuem alto poder de absorção

Top