Saiba como controlar seu negócio às vésperas do Natal

As compras de Natal estão a todo vapor. Os comerciantes que se organizam e planejam para a data, não costumam ter problemas no pico…

Por Editorial MDT em 21/12/2011

As compras de Natal estão a todo vapor. Os comerciantes que se organizam e planejam para a data, não costumam ter problemas no pico de vendas. No entanto, com menos de uma semana para o Natal, quem não se organizou também não precisa perder a cabeça, ou deixar melhorar só ano que vem.

Confira abaixo, as dicas de especialistas sobre problemas comuns nesta época no comércio, como contornar e dispensá-los neste e nos anos seguintes.

1. Estoque a  favor das vendas

A decorrência de um bom atendimento é possuir dedicação e rapidez. Em uma loja de roupas, por exemplo, o vendedor procura a melhor peça conforme o gosto do cliente.  Porém, quando falta o item por ali, correr para o estoque pode comprometer as vendas. Um estoquista e um repositor que atuem juntos com o vendedor colaboram para a agilidade da equipe.

É importante que o ambiente esteja devidamente organizado para facilitar a busca dos produtos. Cada loja possui um processo de armazenagem distinto e, por isso, cada funcionário novo necessita se familiarizar com as mercadorias e saber como identificá-las. “Um funcionário bem treinado consegue multiplicar por três a capacidade de atendimento”, comenta o sócio da Práxis Education, Leonardo Marchi.

2. Mais funcionários no caixa

A organização para acolher os consumidores tem de valer para o caixa também. É alto o índice de desistência dos consumidores quando se deparam com enormes filas no caixa. Por isso, procure treinar mais funcionários para assumir o posto em momentos de pico.

“Se não consegue eliminar a fila, ofereça água ou café e cadeiras para os clientes aguardarem”, propõe o consultor do Sebrae, Gustavo.

3. Atenção com as maquininhas

Muitos comerciantes pensam em economizar e contratam somente um serviço de máquinas de cartão. Quando o sistema cai ou congestiona, o comerciante fica preso a operadora e sem saber quando poderá voltar a passar os cartões. Por isso, recomenda-se trabalhar com duas operadoras diferentes.

Outras maneiras de pagamento também são bem vindas, mas podem ordenar cuidados. Para aceitar cheques, por exemplo, verifique a credibilidade do consumidor ou passe para um empreendimento que assuma o risco do descumprimento.

Com o fluxo intenso nessas épocas, não perca o faturamento também por falta de troco. Para quem possui um bom relacionamento e uma boa movimentação bancária, recomenda-se solicitar ao gerente do banco para realizar saques com dinheiro trocado.

4. Nota fiscal à moda antiga

Muitas lojas usam a rede para enviar informações da movimentação a uma central. Se o sistema cai, o comerciante precisa ter a tradicional nota fiscal por perto. O mesmo vale se ocorrer problemas com a falta de energia ou se a impressora quebrar. “O grande ponto é proporcionar uma experiência de consumo positiva ao cliente”, lembra Marchi.

5. Estabeleça horários para trocas

Com tantas pessoas querendo comprar, um pedido de troca ainda resulta num mal atendimento. Especialistas explicam que na troca a comissão já foi paga ao vendedor e o cliente fica no jogo do empurra-empurra.

Para evitar essa situação, nessa estação de maior movimento, deixe claro e visível na loja, o prazo e horários para troca. Solicite inclusive para o responsável pelo caixa comunicar o recado. Muitos empreendimentos incentivam  a troca depois do Natal, respeitando o prazo mencionado, já que o método tem atuado como uma possibilidade para uma nova venda.

Natal é uma época boa para os negócios e com o cliente satisfeito, o sucesso é garantido.

 

Top