Saiba como acontece a hellp síndrome

A Síndrome Hellp ou Hellp é uma doença rara. Ela atinge em média 0,4% das gestantes. Sendo bem maior o acometimento de mulheres que sofrem…

A Síndrome Hellp ou Hellp é uma doença rara. Ela atinge em média 0,4% das gestantes. Sendo bem maior o acometimento de mulheres que sofrem de pré-eclâmpsia. É um grave problema de saúde que pode levar mãe e bebê a óbito.

O nome Síndrome HELLP vem da abreviação (do inglês) dos três de seus principais sinais.

H – Hemolytic anemia – Hemólise – que é o rompimento das hemácias.

EL – Elevated Liver enzymes – Enzimas hepáticas aumentadas.

LP –  Low Platelet count – Grande diminuição de plaquetas.

Essas características da síndrome levam a graves consequências para mãe e o bebê. Os sintomas são de difícil percepção e diagnóstico e exige muita atenção da paciente e do médico responsável.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas começam com o aumento da pressão arterial na gestante, e, também, perda de uma certa quantidade de proteínas pela urina. Com o passar do tempo outros problemas vão aparecendo, como dor de cabeça, desorientação, dor no estômago, dor na região do fígado, náuseas, vômitos e tonturas. Podendo ocorrer também convulsão.

Após o diagnóstico, que é feito através de exames laboratoriais, é feito um tratamento para melhorar os sintomas, porém a cura efetiva se dá apenas após o parto. Os cuidados necessários para a gestante com Síndrome Hellp devem ser: repouso, tratamento rigoroso da pressão arterial e medicamentos para evitar crises convulsivas.

Prevenção

Não há como evitar o aparecimento da síndrome, porém quando houver aparecimento do problema na primeira gravidez, é possível tomar alguns cuidados para que não reapareça numa segunda gestação. Diminuindo as chances da ocorrência da Síndrome Hellp.

As medidas mais eficazes são cuidados para um estilo de vida saudável, que inclui:

Leia Também:  Dicas para evitar brigas entre cães

1. Dieta balanceada e orientada por um nutricionista;

2. Controle rigoroso do peso;

3. Pesquisa das causas de hipertensão crônica;

4. Fazer um pré-natal adequado, bem assistido e de qualidade.

Gestantes de maior risco de desenvolver a Hellp Sindrome

As mulheres que possuem maior chance de desenvolver a Síndrome Hellp são:

1. Que possuem doenças crônicas que afetam rim e coração;

2. Portadoras de Lúpus Eritematoso Sistêmico;

3. Pacientes com diabetes mellitus;
Diagnóstico precoce

Quanto mais precocemente for detectada a doença, e mais rapidamente iniciar o acompanhamento médico, melhor o resultado do tratamento e menor é o risco de morte.

Mesmo mulheres que não apresentam fatores de risco para a doença, podem ser acometidas.

A evolução da doença é muito variada, sendo diferente dependendo de várias características da mulher. Pode ocorrer em qualquer momento da gestação, mas é mais frequente do meio para o final.

Problemas para o bebê

A Síndrome pode acarretar diversos problemas para o bebê, incluindo morte.

É muito comum a criança nascer antes do tempo, pois, na Síndrome Hellp, a placenta não se desenvolve de maneira normal, não promovendo o crescimento adequado do bebê. Dessa forma, aumenta, também, a chance de ocorrer descolamento prematuro da placenta, que é um problema muito grave.

Mesmo após o término da doença, com o parto, a mulher pode sofrer algumas consequências. Ela terá uma chance maior de desenvolver problemas cardíacos, hipertensão arterial crônica e acidente vascular encefálico a longo prazo, sendo necessário acompanhamento médico.

Não se sabe ao certo o que leva ao desenvolvimento da Síndrome Hellp. Mas, é importante estar sempre atenta ao sinais e sintomas para que as consequências sejam as menores possíveis.

Top