Roupas mais estranhas do mundo foram reunidas em um ranking

O mundo está cheio de esquisitices, sendo que muitas dessas coisas bizarras podem ser vestidas por qualquer pessoa que não tem a menor vergonha de sair por aí usando, por exemplo, a menor cueca do mundo. Pensando em que curte essas coisas longe do normal, resolvemos listar as roupas mais estranhas do mundo.

Menor cueca do mundo (Foto: Divulgação)

Cueca mais estranha do mundo

A menor cueca do mundo também é a mais esquisita. A empresa francesa Petit Q, especializada em fazer lingeries masculinas, anunciou uma coleção com roupas íntimas bem pequenas, que acabaram ficando conhecidas como as “menores cuecas do mundo”. Algumas dessas peças só cobrem a parte genital masculina, sendo que podem incluir ou não o fio dental.

Biquiní de rosto é novidade estranha, mas útil (Foto: Divulgação)

Biquíni de rosto

E quem foi que disse que rosto não precisa de roupa? Imagine só que uma moda de biquínis andou se espalhando por aí, mas dessa vez o biquíni foi feito para o rosto. A roupa de rosto é chamada de “face-kini” (ou biquíni facial, em tradução livre), o traje de banho para a face deixa somente os olhos, nariz e boca descobertos. A máscara foi desenvolvida primeiramente para proteger o rosto de queimaduras do sol e acabou se tornando um aliado importante para repelir insetos, águas-vivas e até para quem quer ir á praia sem ficar com a pele do rosto bronzeada.

Biquiní masculino causa estranhamento (Foto: Divulgação)

Biquinís masculinos estão entre roupas mais bizarras

Biquíni não é mais só de rosto e muito menos coisa de mulher. Imagine você como é a modernidade. Em outubro do ano passado dois homens resolveram lançar moda e apareceram usando “mankini”, ou seja, um biquíni masculino popularizado pelo comediante Sacha Baron Cohen no filme “Borat”, durante uma corrida de obstáculos em La Bresse, na França. A visão dos homens correndo com o chamado biquíni não agrada a todos, mas eles até que gostaram da roupa.

Veja a seguir uma lista completa com mais roupas bizarras:

 

Reply