Reposição hormonal: perigos

Reposição hormonal: perigos

Quando a mulher para de menstruar, o organismo deixa de produzir hormônios femininos como o estrogênio e a progesterona, causando várias reações como calor,…

Por Editorial MDT em 23/05/2013

Quando a mulher para de menstruar, o organismo deixa de produzir hormônios femininos como o estrogênio e a progesterona, causando várias reações como calor, enfraquecimento ósseo, aumento do colesterol e de gorduras abdominais além de vários outros problemas. Saiba mais sobre o assunto e veja os perigos da reposição hormonal.

A reposição hormonal ajuda a aliviar os sintomas da menopausa. (Foto: divulgação)

Reposição hormonal

Para diminuir os efeitos gerados pela menopausa, há cerca de 20 anos começaram a ser desenvolvidas diferentes terapias de reposição hormonal, baseadas na prescrição de hormônios sintéticos que substituem o estrogênio e a progesterona.

De acordo com especialistas da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a cada ano aumenta o número de mulheres que fazem uso dos hormônios. Porém, esses remédios apresentam muitos efeitos colaterais. É necessário fazer alguns exames para saber qual o tipo de hormônio ideal em cada caso e também a melhor via de administração.

A reposição hormonal deve ser feita sob orientação médica. (Foto: divulgação)

Veja também terapia de reposição hormonal importante 

Riscos da reposição hormonal

Embora a reposição hormonal esteja fazendo parte da vida de muitas mulheres, pesquisadores alertam para os riscos dos medicamentos. Um estudo feito pela Women’s Health Iniciative como mais de dezesseis mil mulheres nos Estados Unidos, mostrou que uma combinação de medicamentos, feita com hormônios femininos extraídos da urina de éguas prenhas, aumenta consideravelmente a incidência de derrames cerebrais, infartos e câncer de mama nas mulheres que utilizam o tratamento.

De acordo com especialistas em endocrinologia, quando a reposição não é feita, vários problemas podem ocorrer, como ondas de calor, ressecamento vaginal, pele fina, enrugada e com manchas escuras. Com o passar dos anos, a distribuição de gorduras se modifica, principalmente a localizada na região abdominal. Além disso, pode ocorrer atrofia da uretra, incontinência urinária e infecções de urina repetidas. A longo prazo pode aumentar as chances de osteoporose, mal de Alzheimer e doenças cardiovasculares.

Nesse momento a paciente deve avaliar sua qualidade de vida e decidir se irá usar o hormônio ou não. Se os sintomas comprometerem sua sanidade, seu emprego ou relacionamento é hora de começar a pensar em fazer o tratamento. É bom enfatizar que a reposição hormonal não está livre de efeitos colaterais.

A reposição hormonal pode oferecer alguns riscos para a mulher. (Foto: divulgação)

Veja também terapia hormonal para homens 

A reposição hormonal é utilizada no tratamento da menopausa, sendo muito eficaz no alívio dos sintomas gerados pelo problema. O ideal é consultar o médico ginecologista para avaliar o caso e indicar se há necessidade de começar a terapia hormonal, pois existem perigos no tratamento.

Top