Renda das mulheres cresce 83% em 10 anos

O rendimento feminino cresceu praticamente o dobro da renda dos homens nos últimos 10 anos e deve atingir em 2013 o valor de R$…

O rendimento feminino cresceu praticamente o dobro da renda dos homens nos últimos 10 anos e deve atingir em 2013 o valor de R$ 1,01 trilhão. Esses dados foram anunciados na pesquisa “Tempo de Mulher”, divulgada na última terça-feira, 5 de março, por meio do Data Popular. Apesar desse aumento de 83% em 10 anos, a renda total das mulheres atingirá neste ano o patamar da renda masculina de 2003, o que ainda demonstra uma grande diferença.

Leia mais sobre: Cresce o número de pobres nos Estados Unidos

O salário das mulheres vem aumentando (Foto: Divulgação)

Renda feminina equivale a PIB da Suécia

De acordo com a pesquisa, a massa de renda dos homens aumentou 45% nos últimos 10 anos e somará R$ 1,6 trilhão em 2013. Já em 2003, o valor de renda das mulheres somava R$ 602 bilhões e a masculina R$ 1,1 trilhão. Isso é o equivale ao Produto Interno Bruto (PIB) de nações como Suécia e Bélgica.

“O grande responsável por esta mudança está na presença maciça das mulheres no mercado de trabalho. O aumento das carteiras assinadas para elas foi de 162%, o que possibilitou investir em estudos e melhores oportunidades para contribuir com a renda familiar, antes responsabilidade do marido”, disse Renato Meirelles, que é sócio diretor do Data Popular.

Saiba mais sobre: Pobres ficam ricos mais rápido no Brasil, diz Forbes

Mesmo com crescimento salarial em comparação aos homens tem muitas diferenças nos rendimentos (Foto: Divulgação)

Consumo feminino foi analisado na pesquisa

A pesquisa que verificou como anda a renda feminina aponta também que quase 30% das mulheres pretendem comprar um celular novo nos próximos 12 meses. Outro hábito consumista desse público foi analisado e ficou registrado que 25% das mulheres querem comprar uma TV e que 20% têm o desejo de adquirir um sofá ou fogão novo.

Leia Também:  Novas regras para o pagamento de boletos bancários

Os dados mostram que elas estão pensando de modo individual na hora de consumir, deixando de lado as compras de produtos para equipar a casa. Esse perfil de consumo ajuda as empresas a investir em produtos cujo público-alvo são mulheres. Os homens também podem aproveitar as estáticas para não errar na hora de escolher um presente para suas esposas, namoradas e mães.

Top