Remoção cirúrgica do pâncreas não desencadeia diabetes incontrolável

Uma pesquisa realizada pela Clínica Mayo, nos Estados Unidos, revelou que a remoção cirúrgica do pâncreas não desencadeia diabetes incontrolável, como muitos médicos imaginavam.…

Uma pesquisa realizada pela Clínica Mayo, nos Estados Unidos, revelou que a remoção cirúrgica do pâncreas não desencadeia diabetes incontrolável, como muitos médicos imaginavam. Os resultados do estudo foram divulgados no periódico HPB Surgery deste mês.

De acordo com pesquisa norte-americana, remover o pâncreas não causa doenças incontroláveis. (Foto:Divulgação)

O pâncreas é responsável pela produção de insulina, hormônio que controla os níveis de açúcar no sangue. O órgão também tem a função de produzir algumas enzimas fundamentais da digestão, que precisam ser repostas no caso da remoção total.

Leia mais: Carne processada eleva chance de câncer de pâncreas

Remover o pâncreas não causa diabetes sem controle

Para chegar à conclusão de que a remoção do pâncreas não provoca quadros graves de diabetes, os autores do trabalho avaliaram 14 pacientes que tiveram o pâncreas removido através de cirurgia. O acompanhamento durou vários anos e motivou a realização de muitos exames, que analisaram os danos causados no organismo de cada participante.

Os exames dos pacientes foram então comparado aos de outras 100 pessoas que apresentavam diabetes tipo 1 e precisavam fazer a reposição de insulina diariamente. Depois de comparar os resultados, os pesquisadores concluíram que ambos os grupos possuem dificuldade para controlar a quantidade de açúcar no sangue, mas sem complicações extremas por causa da falta de produção de insulina.

A cirurgia de remoção total do pâncreas é uma alternativa para quem sofre de câncer no órgão. (Foto:Divulgação)

Até pouco tempo atrás, acreditava-se que a retirada do pâncreas resultaria em complicações incontroláveis, afinal, o órgão é o grande responsável pela produção de insulina. Entretanto, com a nova descoberta médica, o procedimento está sendo encarado com uma nova visão.

Leia Também:  Cores indicam personalidade na decoração

Saiba mais:

A remoção do pâncreas é uma solução para o câncer

De acordo com Michael Wallace, coordenador da pesquisa, a remoção do pâncreas é a solução encontrada para os casos de câncer ou cistos pré-cancerosos na região. Entretanto, muitos médicos evitavam realizar a cirurgia devido a possibilidade do paciente desenvolver uma diabetes sem controle. Com os resultados do estudo, o pesquisador acredita que os cirurgiões se sentirão mais tranquilos para remover o pâncreas quando for necessário, sobretudo se tratando de um caso de câncer grave.

A remoção total do pâncreas se tornou mais viável devido ao avanço na terapia com insulina. As novas apostas da medicina permitem que o indivíduo, mesmo sem produzir o hormônio, controlar com eficácia o açúcar do sangue.

Terapia com insulina funciona em pacientes sem pâncreas. (Foto:Divulgação)

Para que o paciente não corresse o risco de desenvolver diabetes incontrolável, muitos médicos optavam pela remoção parcial do pâncreas, mas esta não é a melhor saída quando se trata de tumores malignos. Quando apenas um pedaço do órgão é removido, o câncer pode reaparecer de forma mais agressiva ou difícil de ser detectado.

Veja também: Câncer no pâncreas: entenda a doença que matou Steve Jobs

Top