Remédios que cortam o efeito de anticoncepcional

Remédios que cortam o efeito de anticoncepcional

Há décadas que a pílula anticoncepcional faz parte da realidade da mulher. Através dela, foi possível que as famílias realizassem um planejamento familiar adequado,…

Por Editorial MDT em 01/10/2012

Há décadas que a pílula anticoncepcional faz parte da realidade da mulher. Através dela, foi possível que as famílias realizassem um planejamento familiar adequado, por ajudar no controle sobre a natalidade. Mesmo sendo um dos métodos contraceptivos mais utilizados em nosso meio, ainda existem muitas dúvidas a respeito do seu uso. Tendo isso em vista, separamos algumas informações sobre os remédios que cortam o efeito do anticoncepcional.

Saiba como escolher o anticoncepcional corretamente.

Alguns medicamentos podem interferir na ação do anticoncepcional. (Foto: divulgação)

Alguns medicamentos podem diminuir os efeitos do paracetamol

Alguns medicamentos podem comprometer a eficácia da pílula anticoncepcional, por isso é um assunto que merece muita atenção. Esse assunto tornou-se polêmica, após algumas mulheres engravidarem devido a associação de certos medicamentos com a pílula. A primeira e principal atitude a ser tomada é, antes de utilizar qualquer medicamento, buscar a orientação de um médico especialista, para receber orientações. Na maioria dos casos, os profissionais da saúde costumam realizar a troca de um medicamento que não afete a eficácia do anticoncepcional.

Conheça alguns medicamentos que podem interferir no efeito do anticoncepcional

Separamos abaixo, alguns exemplos de medicamentos que poderão interferir na ação da pílula anticoncepcional. Algo que poderá desencadear uma gravidez não planejada.

  •  Antibióticos – os principais medicamentos que fazem parte dessa classe e que afetam a eficácia da pílula anticoncepcional são: doxicilina, eritromicina, metronidazol, penicilina G e V, ciclacilin, rifampincina, ampicilina, ácido clavulânico, oxacilina, amoxacilinam tetraciclina, cloranfenicol, dapsona;
  • Remédios antiepiléticos e anticonvulsivantes– alguns exemplos de medicamentos que pertencem a essa classe são: oxcarbamazepina, topiramato, difenil.-hidantoina, primidona. Fenobarbital, fenitoína, carbamazepina. Todo eles interferem na eficácia da pílula anticoncepcional, por isso é essencial que a mulher fique atenta;

    A pílula anticoncepcional faz parte do universo feminino há décadas. (Foto: divulgação)

  • Diuréticos – o principal exemplo dessa classe de medicamentos é a espironolactona;
  • Antifúngicos – o mais conhecido e que possui capacidade em diminuir a eficácia do anticoncepcional é o griseofulvina. Assim, é essencial que a mulher fique atenta, assim como fazer uso de outras formas de anticoncepçõa;
  • Antiretrovirais– alguns exemplos dessa classe de medicamentos, podemos citar: efvirens, nelfinavir, ritonavir, nevirapina. Como o próprio nome já menciona, esses remédios são utilizados para o combate do vírus da Aids e por conterem altas taxas de progesterona, diminuem a eficácia do anticoncepcional

    Antes de realizar a automedicação, busque a orientação de um médico especialista. (Foto: divulgação)

A pílula anticoncepcional é utilizada há tempos. Porém, para que seu benefício seja alcançado, é essencial utilizar de maneira correta, além de evitar os medicamentos que cortam o efeito do anticoncepcional. Após conhecer alguns exemplos de remédios que interferem na eficácia do medicamento, basta buscar orientações de um especialista caso seja necessário o seu uso.

Conheça os benefícios do anticoncepcional injetável.

Top