Remédio para Câncer da USP - Alertas

Remédio para Câncer da USP – Alertas

Saiba tudo sobre o remédio para câncer da USP – alertas! A fosfoetanolamina sintética, criada por um professor aposentado da Universidade de São Paulo…

Por Isabella Moretti em 19/10/2015

Saiba tudo sobre o remédio para câncer da USP – alertas! A fosfoetanolamina sintética, criada por um professor aposentado da Universidade de São Paulo foi apontada como a cura para todos os tipos de câncer. Mas a medicação é considerada ilegal!

Remédio para Câncer da USP - Alertas. (Foto Ilustrativa)

A fosfoetanolamina é uma substância sintetizada naturalmente no corpo humano, ela contribui com a saúde das células e impede que células cancerígenas se desenvolvam e se proliferem pelo organismo.

Pensando nisso, alguns cientistas da USP acreditam que ao ingerir cápsulas da substância sintética, pacientes com câncer poderiam curar-se da doença sem a necessidade de tratamentos agressivos como a quimioterapia.

Leia também: Dicas de beleza para quem faz quimioterapia

Remédio para Câncer da USP – Alertas

Várias pessoas estão consumindo essa cápsula com a esperança de se curar do câncer. (Foto Ilustrativa)

O remédio para câncer da USP está em estudo há mais de vinte anos. Durante esse tempo, o químico responsável pela fabricação da fosfoetanolamina realizou testes em animais e obteve resultados positivos. Desde então, a droga vinha sendo distribuída por funcionários da Universidade de São Paulo para mais de 700 pessoas com câncer.

O remédio funciona?

O uso da substância divide opiniões, alguns pacientes afirmam melhora significativa com o uso do medicamento, e até mesmo o desaparecimento dos tumores. Já os profissionais da saúde alertam que não há nenhum fato comprovado através de laudo médico e que os resultados positivos são provavelmente resultado da quimioterapia e da radioterapia.

Não há evidências sobre os benefícios da fosfoetanolamina em humanos. (Foto Ilustrativa)

A distribuição da fosfoetanolamina sintética foi restringida em 2014, por uma portaria do Instituto de Química da USP. Além disso, a universidade ressaltou que a substância não é um medicamento e só continuaria sendo entregue aos pacientes com câncer mediante a uma liminar.

A partir daí, centenas de pessoas beneficiadas com a fosfoetanolamina recorreram à justiça para manter acesso à droga, o caso chegou ao Supremo Tribunal Federal. Mais de 700 pessoas já conseguiram reverter à situação e dar continuidade no tratamento contra a doença com o auxilio do remédio para câncer da USP – Alertas.

Saiba como prevenir e tratar doenças renais

Entenda a polêmica

A fosfoetanolamina sintética não foi testada em humanos antes de começar a ser distribuída, ou seja, a eficiência da droga no combate ao câncer não é uma certeza. Também não foi possível classificar ainda, os efeitos colaterais e as contraindicações da substância.

O teste em humanos (laudo clínico) só é possível sob a supervisão de um médico para recomendar as dosagens e avaliar os efeitos da droga no organismo. Mas grande parte dos oncologistas considera impossível a cura de todos os tipos de câncer por meio de uma única substância.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária negou o registro do remédio fabricado pela USP por falta de provas concretas na cura do câncer, além disso, a droga não possui bula e pode representar um risco para os doentes. Fato que torna a comercialização do produto ilegal.

Ainda faltam provas concretas sobre a cura do câncer. (Foto Ilustrativa)

A decisão do STF em relação a liminar foi tomada com base na lei 8080/90, que específica como direito do cidadão o acesso à diversidade de tratamentos e autonomia na escolha dos mesmos. Os pacientes que conseguiram a liminar continuaram recebendo o medicamento pela USP, porém a universidade já declarou que não se responsabiliza pelos efeitos da fosfoetanolamina sintética.

Veja quais os tipos de câncer que mais matam no Brasil

É importante que os pacientes afetados pela doença considerem as informações sobre o remédio para câncer da Usp- Alertas e continuem realizando o tratamento recomendado pelos oncologistas. Continue no Mundo das Tribos e veja outras matérias sobre saúde.

Top