Refrigerante reúne maior quantidade de gordura ao redor dos órgãos

As consequências prejudiciais do consumo de refrigerantes com açúcar, ultrapassam o ganho de peso e de gordura. Uma pesquisa realizada no Hospital Universitário de…

Por Editorial MDT em 16/01/2012

Imagem: (Foto Divulgação)

As consequências prejudiciais do consumo de refrigerantes com açúcar, ultrapassam o ganho de peso e de gordura. Uma pesquisa realizada no Hospital Universitário de Aarhus, na Dinamarca, descobriu que aqueles que ingerem pelo menos um litro desse tipo de bebida diariamente reúnem maior número de gordura em regiões perigosas, como no fígado, nos músculos e em órgãos ao redor do abdome. Logo, são mais propensas a desenvolver diabetes e doenças cardíacas.

Os especialistas acompanharam 47 voluntários que ingeriram todos os dias, durante seis meses, um litro da bebida de sua escolha: água, leite, refrigerante normal ou diet. Todos as pessoas eram obesas ou tinham sobrepeso, já que, de acordo com os especialistas, pessoas com esse aspecto são mais predispostas a alterações de dieta do que aquelas que possuem peso dentro do padrão.

Após esse intervalo, as pessoas que consumiram refrigerante normal foram as que mais reuniram gordura. Ao final da pesquisa, elas apresentavam 25% a mais de gordura ao redor dos órgãos e aproximadamente  duas vezes mais gordura acumulada no fígado e nos músculos do que quando o estudo começou.

A gordura centralizada em partes onde não poderia, como nos músculos, por exemplo, é conhecida como gordura ectópica. De acordo com os autores da pesquisa, essa gordura é mais ameaçadora ao bem-estar de uma pessoa do que a gordura subcutânea, que é aquela que permanece sob a pele. A gordura ectópica compromete os órgãos e pode bancar um fator de risco para problemas como derrames, diabetes, doenças cardíacas e problemas no fígado.

De acordo com os especialistas, esse estudo ministra dados importantes, que podem amparar indicações para redução do consumo de bebidas à base de açúcar.

Top