Redes Sociais são os sites mais frequentados por brasileiros, diz pesquisa

Uma recente pesquisa, realizada pela Fecomércio-RJ/Ipsos, revelou dados muito interessantes a respeito do perfil do internauta brasileiro. O estudo que foi realizado com mil…

Uma recente pesquisa, realizada pela Fecomércio-RJ/Ipsos, revelou dados muito interessantes a respeito do perfil do internauta brasileiro. O estudo que foi realizado com mil entrevistados de 70 municípios, incluindo nove das regiões metropolitanas, revela o crescimento do número percentual de conectados, que passou de 27% contabilizado em 2007 e que em 2011 atingiu 48%.

Um número crescente, mas que tem os seus motivos: os principais motivos, para o maior uso da internet, foi o contato com os amigos (50%) e o trabalho (27%).  Com tais motivos, os sites mais acessados também não fogem ao dado anterior: as redes sociais ocupam o topo da lista, com 61%. Sites de pesquisa tiveram 48%, e-mails 34%, diversão ocupou 17%,  enquanto, serviços obtiveram esta mesma porcentagem.

A frequência com que o uso da rede mundial é usada também é crescente: 47% respondeu conectar-se diariamente;  33% declararam ter acesso mais de uma vez por semana, enquanto, 12% se restringem a somente uma vez. O tempo de conexão é outro dado revelador: 55% dos pesquisados responderam passar entre 30 minutos a duas horas conectados, enquanto, 23% permanecem conectados entre duas e quatro horas e 14% passam menos de meia hora em ambiente virtual.

No que diz respeito ao local de acesso, a maioria dos brasileiros conectados acessa a internet de sua própria casa, com 62%. 15% vão a lan houses, 15% usam a internet no trabalho e 6% vão para a casa de parentes ou amigos.

Entre aqueles que não fazem uso da rede, 43% alegaram que não tem conhecimento sobre o uso do computador;  38% disseram não ter o aparelho em casa e 30% declararam não ter interesse em internet.

Compras online

O número de usuários dispostos a fazer compras online é de 20% este ano, um crescimento de 7% por cento em relação aos 13% contabilizados em 2007. Sobre as vantagens do uso da web para a compras, 38% apontou a comodidade como maior fator. Preços são o argumento de 33% e facilidade de pesquisa foi a resposta de 11%.

Os produtos preferidos são eletrodomésticos (36%); CDs e DVDs (20%); livros (16%) e ingressos para cinema, teatro e similares (7%).

Destes, 22% afirmaram terem desembolsado entre R$ 100 a R$ 200; 19% já gastaram de R$ 200 a R$ 500, 19% gastaram até R$ 1.000 enquanto outros 19% desembolsaram até R$ 100. Quanto as formas de pagamento, 66% preferem o cartão de crédito, 28% fazem uso do boleto bancário e 3% preferem o débito em conta.

Aqueles que não usam do recurso alegam insegurança (69%),  ao passo que, 26% tem receios sobre a qualidade do produto oferecido.

A difusão do uso da internet no Brasil

Segundo a pesquisa, o crescimento se deu especialmente pelo aumento da venda de computadores, causado pelo aumento do poder financeiro da população nos últimos anos, ocasionada pela facilidade no acesso ao crédito e crescimento nos níveis de emprego formal.

O cenário financeiro e a situação do dólar, nos últimos anos, também, ajudou ao favorecer a importação dos produtos e peças, sem contar o apelo da internet entre a população e também as importantes isenções de PIS e Confins, sobre a venda de computadores e componentes que vigorarão até 2014.


Top