Queimadura solar – causas, tratamento

No verão, época de muito sol e calor, encontramos o clima ideal para curtir uma praia. Porém, alguns cuidados devem ser tomados, para que…

Por Andre em 20/01/2012

Usar o filtro solar é uma das formas de se proteger das queimaduras solares

No verão, época de muito sol e calor, encontramos o clima ideal para curtir uma praia. Porém, alguns cuidados devem ser tomados, para que a diversão não termine em dor de cabeça e principalmente em algumas queimaduras na pele. A queimadura solar é um dos principais motivos de atendimentos médicos nesta época do ano.

Causada pela superexposição à radiação ultravioleta (UVA e UVB) proveniente dos raios solares, este tipo de queimadura é perigosa, pois dependendo do grau, em casos mais graves, pode levar ao desenvolvimento de um melanoma, que é um tipo de câncer de pele.

Algumas pessoas são mais suscetíveis às queimaduras solares, como aquelas de peles mais claras (ruivas e loiras), devido a elas possuírem uma menor quantidade de melanina, substância responsável pela pigmentação e proteção da pele. Também estão no grupo mais suscetível as crianças e as pessoas que possuem sardas.

Outra informação importante é que nas regiões de praias e montanhas, a intensidade dos raios solares pode aumentar em até 30%, por causa de um maior reflexo proporcionado pela água, areia e neve. Por isso, é preciso reforçar a proteção quando estiver nestes locais.

Sintomas

Pele muito avermelhada é um dos primeiros sintomas

As pessoas afetadas pela queimadura solar, inicialmente, irão notar uma vermelhidão na pele, seguida de dor no local, cuja intensidade dependerá do grau de exposição ao sol. Normalmente, este quadro surge entre 2 a 6 horas após a exposição, e o desenvolvimento da lesão pode continuar por até 72 horas.

Entre os sintomas iniciais estão fraqueza, dor, edema, náusea, febre, sensação de aquecimento na área afetada, coceira e/ou escamação da pele. Os dois últimos podem continuar acontecendo durante algumas semanas.

Eventualmente, em situações mais graves, costumam aparecer bolhas e uma dor mais forte, devendo a pessoa afetada procurar cuidados médicos o mais rápido possível.

Cuidados

Mesmo na sombra, não se esqueça do protetor solar

Não só quem vai à praia deve tomar alguns cuidados para evitar a queimadura solar. As pessoas que trabalham ao ar livre, quem pratica algum exercício físico em locais abertos ou mesmo quem está andando na rua, está sujeito a estas lesões, inclusive em dias nublados ou com pouco sol, já que uma boa quantidade dos raios consegue ultrapassar as nuvens e chegar à superfície.

Alguns cuidados sugeridos pelos dermatologistas são:

– Usar filtro solar com o fator de proteção solar (FPS) adequado à sua pele, aplicando o produto em todo o corpo, mesmo nos dias nublados;

– Evitar se expor ao sol entre as 10 horas e as 16 horas;

– Dar preferência a roupas mais claras e leves;

– Usar chapéus ou bonés e óculos de sol;

– Lavar bem as mãos após manusear frutas cítricas, como limão e laranja, pois ela aumentam os riscos de aparecem manchas e queimaduras na pele;

– Não usar receitas milagrosas para tratar o problema.

Tratamento

Os tratamentos mais comuns para a queimadura solar incluem o uso de água fria e de medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios e creme hidratante. Além disso, é necessário evitar tomar sol nos dias seguintes às lesões, e lembre-se de procurar um médico, nos casos mais graves, para ele indicar o melhor tratamento.

Top