Quase metade dos habitantes da Amazônia vive abaixo da linha de pobreza

Quase metade dos habitantes da Amazônia vive abaixo da linha de pobreza

Segundo um estudo do Articulação Regional da Amazônia (ARA) publicado ontem (16) durante o Fórum Amazônia Sustentável, em Belém (PA), quase metade da população…

Por Editorial MDT em 17/11/2011

(Imagem: Foto divulgação)

Segundo um estudo do Articulação Regional da Amazônia (ARA) publicado ontem (16) durante o Fórum Amazônia Sustentável, em Belém (PA), quase metade da população Pan-Amazônia, está abaixo dos níveis de pobreza, a região é habitada por 34,1 milhões de pessoas.

O projeto agrupa informações sobre analfabetismo, mortalidade, desmatamento e outros nove países do Pan-Amazônia (Brasil, Equador, Bolívia, Peru, Guiana Francesa, Colômbia, Guiana, Suriname Venezuela).

A situação é mais crítica na Bolívia, onde mais de 50% da população que vive na amazônia, convive com menos de 0,75 dólar diário. Se esse país atendesse ao método da ONU para examinar pobreza extrema, a qual é de quase US$ 1 por dia, a porcentagem, certamente, seria ainda maior.

“A região amazônica é sempre a mais pobre em todos os países da Pan-Amazônica”, disse Adalberto Veríssimo, pesquisador da ONG Imazon e coordenador da coleta de dados no Brasil. Segundo ele, este tipo de mapeamento “sem fronteiras” é admirável, já que a preservação da floresta deve ser realizada em conjunto. “Isso está cada vez mais claro. Não adianta o Brasil preservar o rio Amazonas se a nascente fica no Peru”.

Atualmente, o Brasil responde por aproximadamente 72% das taxas anuais de desmatamento da floresta, acompanhado da Venezuela com 12,5% e pelo Peru com 6,5%. No entanto, de acordo com Veríssimo, há um problema na coleta de informações da região amazônica, já que a Bolívia, por exemplo, apenas realiza o levantamento de desmatamento a cada dez anos.

“Nós avançamos no monitoramento do desmatamento, inclusive por monitoramento paralelo [ao do governo], por pressão social”, enfatizou Marina Silva, a qual também participou do Fórum.

Top