Qual a Diferença entre Alimento Light e Diet

Ao chegar ao supermercado, muita confusão é gerada na seção em que se encontram os produtos light e diet. Muita gente se pergunta: “Qual…

Ao chegar ao supermercado, muita confusão é gerada na seção em que se encontram os produtos light e diet. Muita gente se pergunta: “Qual a diferença entre alimento light e diet?” Para sanar essa dúvida, escrevemos esse artigo que busca explicar corretamente a diferença entre esses alimentos.

Em resumo, os alimentos light são produzidos para aquelas pessoas que buscam ter uma alimentação mais saudável ou que precisam emagrecer e os diet são fabricados especialmente para as pessoas que têm alguma restrição alimentar por causa de doenças.

O termo “light” em inglês significa “leve”, ou seja, os alimentos light são mais leves em alguns ingredientes nocivos à saúde ou gordurosos. Para ser considerado light, o produto deve ter pelo menos 25% menos calorias. Por isso, são muito usados para quem está preocupado com o bem estar e em perder peso. Entretanto, se o seu objetivo é perder peso, é preciso atentar-se que, mesmo que o produto light tenha menos calorias, não é possível ingerir uma quantidade maior dele. Desse modo, você pode acabar ingerindo uma quantidade igual ou até maior do produto normal e engordar ainda mais.

No caso de chocolates, eles podem ter a redução de um nutriente específico ou de valor calórico. Sendo assim, leia sempre a embalagem antes para saber se o chocolate escolhido será favorável à sua dieta.

Muitos refrigerantes, além de serem light, são diet. Isso porque eles não contêm açúcares e, portanto, podem ser usados por pessoas que não podem ingerir essa substância, como os diabéticos. Entretanto, com a chegada dos refrigerantes Zero, a confusão se alastrou ainda mais. A sua fórmula é quase igual à dos refrigerantes light, portanto, não possuem açúcares também. O que houve foi uma campanha de marketing das indústrias de refrigerantes para abranger outros públicos.

Leia Também:  Receita: Copinhos de Chocolate com Maracujá

Por outro lado, temos os alimentos diet, que devem ser ingeridos por grupos específicos de pessoas como os diabéticos, os hipertensos ou os celíacos (alérgicos a glúten). Nesses casos, os produtos diet possuem 0% das substâncias que esses grupos não podem ingerir. Por isso, esses alimentos devem ter especificada na embalagem a substância que foi retirada deles.

Tais alimentos também podem ser utilizados para quem pretende emagrecer ou fazer uma reeducação alimentar, porém, é importante salientar que, nem sempre a isenção de uma substância signifique a redução de calorias. Em alguns casos, como o chocolate diet, apesar dele não conter açúcar, ele tem muito mais gordura para ganhar a consistência cremosa.

No caso dos refrigerantes, como foi citado acima, tanto os diets quanto os lights ou os “zeros” podem ser consumidos pelos diabéticos, pois nenhum deles possui açúcares.

A Anvisa exige que todos os produtos diet tenham a inscrição “Consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista ou médico”, principalmente em casos de dúvidas, pois as pessoas que precisam de produtos dietéticos devem ficar completamente isentas de certas substâncias. Além do mais, eles devem conter as inscrições “Contém fenilalanina”, “Contém Glúten” ou “Não Contém Glúten”.

Esperamos que os alimentos light e os diet não gerem mais confusões na sua cabeça e que, a partir de agora, seja possível escolher os alimentos certos para o seu caso.

Top