Punições físicas aumentam chance de distúrbios mentais na vida adulta

Violência não leva a nada, especialmente quando se trata da criação dos filhos. A agressividade com a criança quando ela faz algo de errado…

Castigos físicos não representam a melhor forma de educar uma criança. (Foto: Divulgação)

Violência não leva a nada, especialmente quando se trata da criação dos filhos. A agressividade com a criança quando ela faz algo de errado pode criar traumas, que são levados para a vida adulta e interferem no comportamento.

Saiba mais: Educar os filhos sem palmadas

Violência não ensina ninguém

As punições físicas não representam uma forma de educar, muito pelo contrário, elas aumentam as chances da criança se tornar violenta ao lidar com os amiguinhos na escola. O castigo que causa dor física não faz com que o filho aprenda e, quando as palmadas se tornam frequentes, a relação é marcada como uma forma de maus tratos.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) em 2010 revelou que um em cada cinco brasileiros sofreu punições físicas com certa frequência durante a infância. O levantamento também permitiu descobrir que 70% das pessoas apanharam pelo menos uma vez quando crianças.

Recentemente descobriu-se que as punições físicas não alteram apenas o comportamento durante a infância, mas também causam distúrbios mentais na vida adulta.

Agressões aumentam o risco de distúrbios mentais

Crianças que sofreram punições físicas se tornam adultos com distúrbios mentais. (Foto: Divulgação)

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de McMaster, no Canadá, os castigos físicos aplicados em crianças aumentam as chances de problemas relacionados à saúde mental na vida adulta. Os resultados do estudo foram publicados na revista Pediatrics.

Para os pesquisadores canadenses, não é preciso necessariamente sofrer com abuso sexual ou negligência para que a criança cresça e desenvolva distúrbios mentais. A agressividade dos pais na hora de educar causam efeitos negativos durante a infância e também na vida adulta. O estudo afirma que agressões como bater, empurrar e agarrar aumentam os riscos de desenvolver problemas como distúrbio de ansiedade e personalidade.

Leia Também:  Dieta de dois dias que desincha

As conclusões do estudo foram elaboradas após avaliar os dados de 600 americanos inscritos no Exame Nacional de Epidemiologia em Álcool e Condições Relacionadas, dos EUA. Os autores do trabalho analisaram os dados de mais de 34 mil pessoas, maiores de 20 anos.

Reduzir as agressões pode ser uma forma de prevenir problemas de saúde mental. (Foto: Divulgação)

Com base nos dados, a pesquisa descobriu que até 7% dos transtornos mentais apresentados por adultos foram causados por punições físicas agressivas sofridas na infância. Entre os problemas mais comuns de saúde mental, destacam-se: transtorno de humor, ansiedade, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), abuso de álcool e uso de drogas.

Embora a porcentagem pareça pequena, ela já é capaz de revelar o quanto os castigos físicos podem ser prejudiciais na formação da criança e na sua vida adulta. Os autores da pesquisa acreditam que os resultados podem reduzir a quantidade de punições físicas nas famílias modernas em prol da prevenção de distúrbios mentais.

Veja também: Como aplicar castigo em uma criança

Top