Próteses PIP possuíam aditivo para combustíveis, segundo rádio francesa

Um aditivo para combustível foi examinado no gel das próteses de silicone com defeitos da companhia PIP, de acordo com a rádio francesa RTL.…

Por Editorial MDT em 05/01/2012

Imagem: (Foto Divulgação)

Um aditivo para combustível foi examinado no gel das próteses de silicone com defeitos da companhia PIP, de acordo com a rádio francesa RTL. As próteses de PIP (Poly Implant Prothèse) possuíam uma mistura de substâncias encarregadas a grandes equipes de química industrial, as quais nunca foram elementos de avaliações clínicas.

Entre as substâncias estava um aditivo combustível, Silopren, assim como Basylone e Rhodorsil, empregados na indústria da borracha. Pelo o que tudo indica, as substâncias geraram a abertura dos implantes. “Segundo a Agência de Segurança Sanitária francesa (Agence Française de Sécurité Sanitaire des Produits de Santé — AFSSAPS), os fabricantes sabiam que era um gel impróprio, mais utilizado no setor alimentar e de informática”, declarou Dominique-Michel Courtois, médico assessor de uma assembleia de mulheres que usaram próteses PIP.

“Não era possível imaginar que o gel pudesse conter aditivo para combustíveis. É por isso que pedimos análises de próteses retiradas diretamente das pacientes”, afirmou um dos advogados das mulheres, Philippe Courtois. Segundo Philippe, os exames da AFSSAPS foram realizados somente em próteses confiscadas no estoque da companhia em março de 2010. Ainda de acordo com as informações dele, também devem ser realizados exames no exterior, após a revelação do jornal britânico de uma taxa de abertura das próteses muito mais alta pela Grã-Bretanha.

Entenda o caso

Na última semana, o governo francês resolveu advertir a remoção preventiva das próteses mamárias por causa de uma possibilidade de rompimento e outros riscos a saúde. Calcula-se que 30.000 mulheres usaram implantes da marca PIP.

Na quinta-feira, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou que cancelará o registro das próteses de silicone da empresa, e que recolherá as próteses ainda estão na posse da importadora do produto. Ao todo, foram introduzidas 34.631, sendo que 24.534 foram comercializadas – a maior parte no Sul e no Sudeste do Brasil. De acordo com a declaração da Agência as 10.097 próteses restantes serão recolhidas.

O instituidor da empresa, Jean-Claude Mas, de 72 anos, é investigado por fraude com agravante e homicídio culposo. Na sexta-feira, o jornal francês Nice-Matin revelou que Jean-Claude participa de uma nova parceria para a exportação de próteses com baixo custo, sobretudo, para a America Latina.

Top