Programa Ciências Sem Fronteiras

Uma experiência acadêmica no exterior pode enriquecer muito o currículo de estudantes de todos os níveis. Além da questão pessoal e cultural, de adaptação…

Por Redacao em 16/07/2011

Uma experiência acadêmica no exterior pode enriquecer muito o currículo de estudantes de todos os níveis. Além da questão pessoal e cultural, de adaptação a uma nova realidade, aprendizado de um novo idioma e relacionamento com novas pessoas, a possibilidade de levar novos questionamentos e se deparar com novos pontos de vista são elementos essenciais para quem acredita no poder do conhecimento. Pensando nisso, o Governo Federal anunciou, na última segunda-feira, dia 11 de julho, a criação do Programa Ciências Sem Fronteiras.

Em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), os Ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia vão oferecer 75 mil bolsas de estudo no exterior, com passagens aéreas e seguro médico pagos, para alunos que cursam desde o nível médio até o pós-doutorado. Os primeiros bolsistas devem ser selecionados no primeiro semestre de 2012.

Apesar de o projeto-geral ainda não ter sido apresentado formalmente, a esquematização do processo já está pronta. Do total das vagas, 40 mil serão oferecidas pela Capes e 35 mil pelo CNPq. A expectativa é de que todas as bolsas sejam distribuídas ao longo de quatro anos. Os principais setores beneficiados serão, a princípio, a engenharia e a tecnologia, já que o país apresenta, atualmente, escassez de mão de obra qualificada nestas duas áreas.

Uma das grandes novidades é no que se refere aos estudantes de curso técnico do nível médio, que terão três mil bolsas concedidas. Para quem cursa o ensino superior nos níveis de tecnologia, licenciatura e bacharelado tecnológico serão destinadas 12 mil bolsas. O Ministério da Educação já está em fase de negociações com instituições de diversos países, como os Estados Unidos, onde grande parte das instituições já demonstrou interesse em receber estudantes brasileiros. Com o Programa Ciências Sem Fronteiras, o número de bolsas para o exterior concedidas pela Capes vai registrar crescimento de 338% em relação a 2010.

Capes

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior, que completa 60 anos em 2011, é um órgão do Governo Federal que desempenha papel fundamental na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu, ou seja, cursos de mestrado e doutorado, em todos os estados do país.

Entre as atividades que a Capes desenvolve, os principais programas são: avaliação da pós-graduação stricto sensu, acesso e divulgação da produção científica, investimentos na formação de recursos de alto nível no Brasil e no exterior, promoção da cooperação científica internacional e indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para professores da educação básica nos formatos presencial e a distância.

Como comemoração do 60º aniversário da instituição foi lançada uma nova ferramenta em seu site: a Britannica Escola Online, que reúne material destinado a alunos do ensino fundamental.

CNPq

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma agência governamental que fomenta a pesquisa científica e tecnológica e incentiva a formação de pesquisadores no Brasil. Os dois principais objetivos do CNPq são conceder recursos para pesquisa e para a formação de pesquisadores e técnicos e promover cooperação entre universidades nacionais, além do intercâmbio com instituições estrangeiras. Diversas modalidades de bolsas são concedidas pelo conselho, sendo que as duas principais são as bolsas individuais e as bolsas por quotas. Para saber mais, acesse: http://www.cnpq.br .

Top