Procura por Engenharia Civil na USP aumenta em 507,4%

O curso de Engenharia Civil oferecido pela Universidade de São Paulo (USP) conseguiu abater neste ano, pela primeira vez na história, a concorrência de…

O curso de Engenharia Civil oferecido pela Universidade de São Paulo (USP) conseguiu abater neste ano, pela primeira vez na história, a concorrência de Medicina. Quando foi criado, o curso que forma engenheiros não possuía muitos concorrentes, apresentando um índice de 10,3 candidatos por vaga (dados de 2003), correspondendo ao 53° da lista dos mais disputados. Entretanto, a concorrência disparou em 2011, atingindo a margem de 52,27 candidatos por vaga, deixando até mesmo Medicina para trás.

Comparando os 10 últimos vestibulares do curso, constatou-se um aumento de 507,4% na concorrência. Até 2008, Engenharia Civil não ultrapassava a faixa de 11 candidatos por vaga, porém, em três anos a procura foi intensa, enquanto que cursos super disputados na época como jornalismo e publicidade e propaganda, tenderam a diminuir.

Especialistas afirmam que a tendência é aumentar mais ainda a procura. Segundo eles, a aceleração da economia e aquecimento do setor, além da oportunidade do país sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, são os principais fatores que influenciaram nesses resultados.

“O Brasil passou os últimos 20, 25 anos com um completo desestímulo à formação de engenheiros, porque a construção civil andou bastante de lado nesses anos todos”, comentou o vice-presidente de Economia do Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo, Eduardo Zaidan.

De acordo com dados registrados pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), hoje já são mais de 228 mil engenheiros civis registrados.

Top