Principais sintomas de virose

As viroses são um dos problemas de saúde mais frequentes nas unidades médicas de pronto atendimento. De caráter sazonal, costuma cursar com sintomas bem…

Por Editorial MDT em 25/12/2012

As viroses são um dos problemas de saúde mais frequentes nas unidades médicas de pronto atendimento. De caráter sazonal, costuma cursar com sintomas bem desconfortáveis, é capaz de debilitar seriamente pessoas adultas e pode ser bastante grave em crianças. Saiba mais sobre o assunto e conheça os principais sintomas de virose.

Saiba o que fazer em casos de virose.

Cólicas abdominais e diarreia são os sintomas clássicos. (Foto: divulgação)

O que são as viroses

Tecnicamente, qualquer doença causada por vírus pode ser chamada de virose. Acontece que, nos casos em que o vírus é conhecido, em doenças como a gripe, catapora, dengue e herpes, é possível atribuir um diagnóstico mais específico; quando isso não acontece, a doença é chamada simplesmente de “virose”. Essas doenças afetam, principalmente, tanto o sistema respiratório como o gastrintestinal, sendo que o quadro clínico vai depender do vírus infectante.

Veja dicas de como evitar as viroses no inverno.

Principais sintomas

Os sintomas costumam variar de uma pessoa para outra, de acordo com a idade do paciente e de fatores como a carga viral. De maneira geral, as viroses gastrintestinais costumam iniciar com um intenso mal-estar, enjoo e náuseas, que antecedem outros sintomas mais específicos, como a diarreia, vômito, mialgia, cólicas abdominais e febre. Pelo fato de infecções virais serem doenças autolimitadas, os sintomas costumam desaparecer em até 5 dias.

Como enfrentar os sintomas

Não é necessário utilizar medicação para combater os vírus, pois a melhor defesa é a natural, representada pelos anticorpos que são criados especificamente para o tipo de vírus causador da virose. O problema é que essa resposta imunológica demora um tempo para ser preparada, sendo necessário o uso de medicação sintomática para aguardar esse período com relativo conforto.

As viroses comumente afetam o sistema gastrintestinal ou respiratório. (Foto: divulgação)

É possível tomar algumas medicas caseiras que podem melhorar a situação, como, por exemplo, evitar comer algo imediatamente após os episódios de vômito, porque as chances de continuar vomitando não são pequenas. O indicado é esperar por, no máximo, três horas para ingerir algo leve.

A hidratação é fundamental e é capaz de melhorar consideravelmente o estado físico geral. Em crianças a desidratação pode ser muito grave e costuma cursar com sintomas como tontura, fraqueza, taquicardia e desmaios, podendo facilmente agravar o caso clínico.

Entenda como tratar crianças com virose.

Dieta recomendada

Para manter a hidratação, é muito importante ingerir muita água, soro caseiro e suco natural, sendo que os mais indicados são os de caju, maçã e goiaba, que devem ser feitos sem a casca da fruta, para ajudar a conter a diarreia. A água de coco pode soltar o intestino de algumas pessoas, e por isso seu uso deve ser feito com cuidado. Bebidas isotônicas como o Gatorade também pode ser oferecido, mas sua ingestão não é recomendada para crianças, idosos ou portadores de problemas renais.

Qualquer bebida ou alimento industrializado deve ser evitado, como os refrigerantes e qualquer outra bebida gaseificada, leite e sucos de frutas capazes de soltar o intestino, como é o caso da laranja. Comidas gordurosas, ricas em fibra (como os cereais integrais) e condimentadas também não são recomendadas.

Para comer, é indicado preferir pratos leves como as sopas, que podem ser incrementadas com cenoura, arroz, frango, batata, chuchu, beterraba, vagem e outros legumes. Uma bolacha de água e sal é capaz de matar a vontade de comer algo mais sólido.

A hidratação é essencial, especialmente para crianças. (Foto: divulgação)

As viroses são um dos problemas de saúde mais incômodos, porém, felizmente, são autolimitadas e não costumam cursar com complicações graves. É importante orientar que, caso a diarreia persista por mais de 48 horas, é indispensável procurar auxílio médico, especialmente no caso do paciente ser uma criança ou idoso.

Top