Pretinho Básico: o Amigo da Indecisão

Todo mundo já ouviu falar do pretinho básico, né? Aquele vestido que deixa a mulher sensual, poderosa e elegante com muita simplicidade, mas muita…

Todo mundo já ouviu falar do pretinho básico, né? Aquele vestido que deixa a mulher sensual, poderosa e elegante com muita simplicidade, mas muita eficiência. É a peça mais clássica que a mulher possui em seu guarda-roupa, e quando está com dúvidas no que vestir para determinada ocasião, ela sempre recorre ao fiel amigo.

O tão querido salvador do guarda-roupa teve a primeira aparição em 1926, ano em que a revista Vogue divulgou uma foto do vestido da cor preta, uma criação de Coco Chanel. A estilista inovou ao usar a cor preta para o tingimento do vestido, pois as jovens não podiam usar roupas pretas e somente as senhoras faziam o uso da cor durante o período de luto.

Na década de 1930, acontecimentos deram um rumo diferente à vida das mulheres, causando impacto na moda. Durante a Segunda Guerra Mundial, elas se viram obrigadas a trabalhar nas fábricas, e suas roupas foram afetadas pelo novo cotidiano. O vestido preto coube perfeitamente a essa nova situação que as mulheres enfrentavam. Nada de ostentação, só racionamento.

Assim como Segunda Guerra Mundial teve seu fim, o racionamento de tecidos também. Christian Dior apareceu com o New Look, que valorizava as curvas femininas destacando a cintura finíssima e quadris super volumosos, usava metros e mais metros de tecido para dar vida à saia.

Em 1950, as mulheres tiveram como uniforme um vestido preto, com golas e luvas brancas, os sapatos eram coloridos e também fazia parte um colar de pérolas clássico.

Mas eis que é lançado o filme Bonequinha de Luxo, com Audrey Hepburn, em 1961. Este filme teve como figurinista Hubert de Givenchy, estilista francês. Um luxo só! E, aliás, o filme é tão lindo. Eu recomendo!

Leia Também:  Pretinho básico: conheça as melhores combinações para o look

Na década de 1970, deu-se um breve descanso ao pretinho, a psicodelia tomou conta do mundo com muitas cores e mais revoluções. Mas tudo passa, não é? Passada essa turbulência de cores, nos anos 1980, a cor preta retomou seu poder e, melhor ainda, voltou para lutar por um lugar que não só no guarda-roupa masculino. Nessa época especificamente, as mulheres estavam correndo atrás de suas carreias profissionais, e o vestido da cor preta acabou se tornando a melhor alternativa, deixando a mulher elegante e com uma atitude séria.

Dos anos 1990 para cá, a peça se mantém firme e forte e cheio de classe. Várias tecnologias foram adaptadas para que novos modelos surgissem através de materiais diferentes, dos mais simples aos mais elaborados. Mas nunca descaracterizando esta peça-chave do nosso guarda-roupa.

O vestido preto proporciona diversas formas de uso e combinações. Atualmente vê-se nas ruas mulheres usando a peça com tênis, sapatilhas e botas. Tudo depende da ocasião e do estilo da pessoa. Faça do seu pretinho uma peça nada básica. Faça do seu pretinho uma peça nada básica ao somar ao look acessórios coloridos.

Top