Presidente Dilma Rouseff sansiona lei que amplia o Supersimples

Diante da crise econômica que afeta principalmente os países europeus, a presidente Dilma adotou mais uma medida que ela acredita impedir que esse cenário…

Diante da crise econômica que afeta principalmente os países europeus, a presidente Dilma adotou mais uma medida que ela acredita impedir que esse cenário chegue até o Brasil. A presidente sancionou, nesta quinta-feira (10), a lei do programa Supersimples, que atualiza as faixas da receita das empresas cadastradas, impondo uma tributação diferenciada para as companhias de pequeno porte.

O governo tinha elevado, em agosto deste ano, em 50% os limites do faturamento dessas empresas, que graças ao Supersimples possuem o benefício de pagarem seis tributos, em apenas um único imposto. Com a sanção da lei, as empresas poderão ter receita anual bruta de até R$ 360 mil, o que antes era de R$ 240 mil.

Dilma apontou em seu discurso a importância da medida para manter o crescimento econômico e permanecer distante da crise econômica internacional.

“A palavra que eu mais escutei [na semana passada, na reunião do G20] foi crise. Crise da dívida soberana, crise dos bancos europeus e uma ausência absoluta de retomada de crescimento econômico daqueles países, e acredito que o Brasil, com esse evento, dá um exemplo de que nós estamos em outra pauta”, comentou.

Depende de nós ter uma atitude em relação a essa turbulência internacional, uma atitude de sobriedade”, finalizou.

Empresas com faturamento anual bruto entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões serão consideradas de pequeno porte. Os microempreendedores, ou seja, Empreendedores Individuais (EI) também foram beneficiados, elevando a receita máxima anual de R$ 36 mil para R$ 60 mil.

Top