Pneumonia química: sintomas, tratamento

São diversas as etiologias que estão envolvidas no desenvolvimento da pneumonia. Apesar disso, existe um subtipo dessa doença que é ocasionada por substâncias tóxicas…

São diversas as etiologias que estão envolvidas no desenvolvimento da pneumonia. Apesar disso, existe um subtipo dessa doença que é ocasionada por substâncias tóxicas e que, quando não devidamente tratada, pode ser fatal. Tendo isso em vista, separamos algumas informações sobre a pneumonia química: sintomas e tratamento.

Conheça os sintomas e o diagnóstico da pneumonia.

Diante de qualquer sintoma sugestivo de pneumonia química, busque a orientação de um especialista. (Foto: divulgação)

Saiba mais sobre a pneumonia química

Diferente das outras formas de pneumonias mais conhecidas, a pneumonia química não é ocasionada por algum tipo de vírus ou bactéria. Na verdade, sua manifestação acontece após o indivíduo ter contato com substâncias agressivas ao pulmão, como a fumaça, os agrotóxicos ou outros produtos químicos. Logo após essas substâncias serem aspiradas, elas chegam até os pulmões, dando início a um processo inflamatório nos alvéolos (estruturas responsáveis pelo transporte de oxigênio para o sangue). Essa inflamação dificulta as trocas gasosas, colaborando com o desenvolvimento da pneumonia química.

Conheça as manifestações da pneumonia química

São diversos os sinais e sintomas que a pneumonia química pode manifestar no indivíduo. Entre todos eles, os sintomas mais comuns são a tosse e a falta de ar. No entanto, o indivíduo pode desenvolver outras manifestações, a depender dos seguintes fatores:

  • Tipo da substância química;
  • Local que ocorreu a exposição (ao ar livre, lugar fechado, etc);
  • Tempo de exposição ao produto químico;
  • Medidas de proteção utilizadas;
  • Presença ou não de doenças de base.

    Entrar em contato com fumaças químicas pode manifestar a pneumonia química. (Foto: divulgação)

Assim, a depender dos critérios anteriormente descritos, o indivíduo pode manifestar:

  • Irritação na mucosa nasal, nos olhos, nos lábios, na boca e na garganta;
  • Tosse seca;
  • Tosse com expectoração de coloração amarelada ou esverdeada;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Dor no peito;
  • Dor ao respirar;
  • Dor de cabeça;
  • Sintomas de gripe;
  • Fraqueza;
  • Desorientação;
  • Febre;
  • Queimaduras na boca, no nariz ou na pele;
  • Pele pálida;
  • Inconsciência;
  • Inchaço nos olhos ou na língua;
  • Voz rouca ou abafada;
  • Saliva espumosa.
Leia Também:  Truques para não acordar com preguiça

É importante ressaltar que os sinais e sintomas da pneumonia química podem demorar alguns dias antes de aparecer. Assim, é ideal que os indivíduos que tiveram contato com alguma substância química, fiquem atentos com as possíveis manifestações que possam surgir após esse episódio. E, diante delas, buscar a orientação de um médico especialista.

Saiba como é realizado o tratamento da pneumonia química

O tratamento do indivíduo com pneumonia química dependerá da gravidade do caso. Em casos graves de pneumonia química, no qual o indivíduo apresenta falta de ar, o tratamento é baseado na administração de oxigênio, através da respiração artificial. Por outro lado, em casos mais leves, o indivíduo realizará acompanhamento com um pneumologista, o qual realizará o tratamento adequado para o caso.

O mal estar e a tosse seca podem ser sintomas da pneumonia química. (Foto: divulgação)

A pneumonia química é um problema que merece tratamento adequado, devido a sua gravidade. Após conhecer mais sobre os sintomas e o tratamento da pneumonia química, e diante de contato com substâncias químicas, é ideal buscar a orientação de um especialista.

Conheça a diferença entre gripe e pneumonia.

Top