Plantas perigosas para animais de estimação

  O copo de leite está entre as plantas perigosas para os animais (Foto: Divulgação) As pessoas que possuem animais de estimação devem tomar…

Por Élida Santos em 16/04/2012

 

O copo de leite está entre as plantas perigosas para os animais (Foto: Divulgação)

As pessoas que possuem animais de estimação devem tomar cuidados com relação as plantas que possuem em seu quintal. Como os bichinhos acabam ingerindo parte das flores e folhagens, é bom ficar atento para evitar uma intoxicação. A camomila é um exemplo de planta do bem. Ela é uma herbácea que mede de 20 a 50 cm de altura, de caule ramificado e flores miúdas. Além de bonita, essa plantinha faz bem para o animal e ajuda a combater as dores estomacais e gases intestinais, também auxilia o bom funcionamento do fígado e na reposição de minerais. Além de contribuir para que o animal fique calminho.

O capim-limão ou capim-santo, também podem fazer parte do jardim sem perigo algum para os animais. Ele é um excelente aromatizante, ideal para ser criado em jardins e locais com espaço, já que pode chegar a até 50 cm de altura. A planta é ideal para combater problemas do sistema digestivo e cólicas. Pode ser ingerida por humanos e animais.

Espirradeira pode levar o animal a morte (Foto: Divulgação)

Já o copo de leite, o bico de papagaio, a onze horas e a espirradeira fazem parte do time das plantas que se forem ingeridas pelos animais podem causar problemas de saúde. O copo de leite, por exemplo, pode causar vômitos e inflamações, já a espirradeira pode causar a morte do animal devido as suas características tóxicas. Veja abaixo uma lista com 80 plantas que fazem mal aos animais se ingeridas.

  1. Abioto: flor selvagem com elevada toxicidade em todas as suas partes, mas principalmente nas raízes;
  2. Acácia-bastarda: uma árvore cuja casca e/ou raízes externas podem revelar-se fatais para o animal;
  3. Açafrão-do-prado: flor de jardim altamente tóxica, independentemente da parte da planta que for ingerida;
  4. Aconite: uma flor de jardim que pode ser tóxica para animais de estimação se estes comerem as suas raízes, folhas e/ou sementes;
  5. Acónito: uma flor selvagem com elevados níveis de toxicidade, nomeadamente nas raízes e sementes;
  6. Actaea: uma flor selvagem cujos bagos e/ou raízes não devem ser consumidas por animais de estimação;
  7. Açucena: uma planta florida que é comum em muitas casas e especialmente tóxica para os gatos;
  8. Aesculus: uma árvore que apresenta rebentos, nozes e sementes de elevada toxicidade para consumo animal;
  9. Agrostemma: flor selvagem com sementes que apresentam níveis de toxinas elevadas;
  10. Alfeneiro/Alfena: um arbusto ornamental com folhas e bagas desaconselhados para consumo por parte de qualquer animal de estimação;
  11. Algoz-das-Árvores: uma espécie de arbusto trepadeira, sendo altamente perigoso para os animais de estimação. As suas bagas é que são particularmente venenosas;
  12. Amargoseira/Cinamomo: uma árvore com sementes potencialmente perigosas se ingeridas por um animal de estimação;
  13. Aroeira: um pequeno arbusto com bagos vermelhos, sendo que a toxicidade está concentrada nas suas folhas;
  14. Árvore-da-morte: tal como o seu próprio nome indica, a fruta e a seiva desta árvore podem revelar-se fatais;
  15. Astereae: extremamente tóxica, esta flor selvagem não deve ser ingerida por animais;
  16. Astragalus: uma flor selvagem altamente venenosa, independentemente da parte consumida;
  17. Ave-do-paraíso/Strelitzia: uma flor de jardim com vagens tóxicas;
  18. Azáleas: quer sejam domésticas ou encontradas em zonas selvagens, qualquer componente desta planta é perigosa para os animais;
  19. Azevinho: um arbusto com bagas vermelhas que são altamente tóxicas se ingeridas;
  20. Beladona: erva de jardim tóxica, principalmente as raízes e sementes;
  21. Calumba: uma hera com raízes e fruta altamente venenosas;
  22. Cambará-de-jardim: uma planta doméstica cujas folhas são venenosas para animais de estimação;
  23. Camelina: uma erva selvagem com sementes particularmente tóxicas;
  24. Carvalho: os rebentos e as folhas desta popular árvore são venenosas se ingeridas por pets;
  25. Castanheiro-da-índia: uma árvore que apresenta nozes e varas perigosas para o consumo animal;
  26. Cerejeira negra: uma árvore cujas folhas e caroço dos seus frutos não devem ser ingeridos;
  27. Conium: altamente venenosa, esta planta do campo tem nas folhas, caule e fruta, a sua maior fonte de perigo;
  28. Consolida: uma flor selvagem que é particularmente nociva enquanto jovem;
  29. Crotalaria: uma flor selvagem altamente tóxica, independentemente da parte que for ingerida;
  30. Daphne: um arbusto que apresenta perigo para a saúde dos animais de estimação se ocorrer a ingestão da sua casca, folhas e/ou bagas;
  31. Delphinium: uma flor selvagem tóxica para os animais de estimação, principalmente as varas;
  32. Dicentra cucullaria: uma flor selvagem, mas também de jardim, que apresenta folhas e raízes particularmente tóxicas;
  33. Dieffenbachia: uma planta doméstica popular que é venenosa para os animais de estimação;
  34. Digitália/Dedaleira: uma flor de jardim, mas também selvagem, cujas folhas são especialmente venenosas;
  35. Ervilha do Rosário: as sementes desta planta doméstica contêm elevados níveis de toxicidade;
  36. Figueira-do-inferno: uma planta do campo que, embora seja perigosa no seu todo, apresenta a maior toxicidade nas sementes;
  37. Filodendro: uma planta doméstica altamente tóxica que deve ser mantida fora do alcance dos animais de estimação;
  38. Glicínia: as sementes e vagens desta planta ornamental são perigosas se ingeridas por um animal;
  39. Glória-da-manhã: as raízes e as sementes desta flor selvagem são venenosas se consumidas por animais de estimação;
  40. Goji: uma hera ornamental cujas folhas e rebentos são altamente tóxicos;
  41. Hera: planta trepadeira que apresenta elevados níveis de toxicidade, nomeadamente nas folhas e bagas;
  42. Holcus lanatus: uma erva com folhas particularmente nocivas para os animais de estimação;
  43. Íris: uma planta selvagem, mas também muito comum em jardins domésticos, é necessário ter especial cuidado com as suas raízes e folhas;
  44. Jacinto: uma planta doméstica que também é encontrada em campos selvagens e cujos bolbos são extremamente tóxicos para os animais de estimação;
  45. Jasmim amarelo: uma planta ornamental com flores e folhas perigosas;
  46. Jatropha: em forma de árvore ou arbusto, esta planta apresenta perigo nas sementes;
  47. Junco: uma planta aquática (comum nos lagos de jardim, por exemplo) com folhas altamente perigosas;
  48. Laburnum: uma planta ornamental com sementes, vagens e flores venenosas;
  49. Leite-de-galinha: uma flor selvagem tóxica que não deve ser ingerida por qualquer animal;
  50. Lepidium: erva selvagem com sementes potencialmente tóxicas para animais de estimação;
  51. Lírio-de-um-dia: uma flor de jardim, mas selvagem também, que é especialmente tóxica para os gatos;
  52. Lírio dos vales: uma flor selvagem, mas também de jardim, apresenta perigo tóxico nas flores e folhas;
  53. Loureiro: um pequeno arbusto cujas folhas são nocivas se ingeridas por um animal;
  54. Macieira: árvore de fruta, cujas sementes são tóxicas para os animais de estimação;
  55. Mamona/Rícino: uma planta doméstica que contém sementes altamente tóxicas;  
  56. Mostarda: esta planta selvagem tem nas suas sementes o principal perigo no que toca a uma possível intoxicação por parte dos animais de estimação;
  57. Narciso: esta flor de jardim tem nos seus bolbos, toxinas perigosas se consumidas por animais de estimação;
  58. Oleandro/Loendro: um arbusto ornamental com folhas impróprias para consumo;
  59. Orelha-de-elefante: uma planta doméstica que é, no seu todo, altamente tóxica;
  60. Palmeira-de-sagu: embora completamente perigosa no que toca ao consumo, as sementes desta planta ornamental são especialmente venenosas;
  61. Phytolacca: uma planta do campo cujas raízes, sementes e bagas apresentam quantidades elevadas de tóxicos;
  62. Poinsétia/Estrela-do-natal: planta típica da quadra natalícia, é potencialmente perigosa para os animais de estimação se estes ingerirem o seu caule, folhas e/ou flores;
  63. Polygonum: a seiva proveniente desta flor selvagem é venenosa para os animais de estimação;
  64. Prímula: em forma de flor selvagem ou erva, os seus níveis de toxicidade concentram-se principalmente nas folhas e caule;
  65. Prunus virginiana: um arbusto selvagem com folhas, bagas e caroços tóxicos;
  66. Ranúnculo: uma flor selvagem com folhas especialmente venenosas para os animais;
  67. Rododendro: um arbusto ornamental com folhas especialmente perigosas para o consumo animal;
  68. Rosa de Natal: uma flor de jardim, cujas folhas e raízes externas escondem substâncias tóxicas;
  69. Ruibarbo: as folhas desta planta, que é comestível para os homens, não deve ser ingerida por animais de estimação;
  70. Sabugueiro: uma árvore cuja casca, folhas, botões e raízes apresentam níveis perigosos de toxinas;
  71. Solano/Ginjeira-do-Brasil: uma planta ornamental cujas folhas e fruta verde podem ser tóxicas se ingeridas por animais de estimação;
  72. Solanum carolinense: uma flor selvagem com elevada toxicidade em todas as suas partes, com particular destaque para as bagas;
  73. Sorgo: uma espécie de erva com folhas venenosas;
  74. Sanguinaria/Sanguinea: uma flor selvagem com elevada toxicidade para os animais, principalmente as raízes e caules;
  75. Teixo: as folhas, sementes e casca desta árvore podem ser venenosas para um animal;
  76. Tinhorão: uma planta doméstica altamente tóxica para os animais de estimação;
  77. Tremoceiro: um arbusto com sementes e vagens particular nocivas se consumidas por pets;
  78. Veratrum viride: uma flor ornamental com raízes, folhas e sementes especialmente tóxicas;
  79. Visco/Visgo: planta doméstica característica do Natal, tem nas suas bagas o maior perigo;
  80. Zigadenus: uma erva do campo com caule, folhas, flores e sementes particularmente venenosas.

Top