Pílula do mês seguinte: saiba mais

Pílula do mês seguinte: saiba mais

Quando a mulher deixa de se prevenir durante a relação sexual, ela provavelmente comprará a pílula do dia seguinte para evitar uma gravidez indesejada.…

Por Isabella Moretti em 26/09/2013

Quando a mulher deixa de se prevenir durante a relação sexual, ela provavelmente comprará a pílula do dia seguinte para evitar uma gravidez indesejada. Contudo, os cientistas estão procurando mudar este conceito ao desenvolver a pílula do mês seguinte.

Alguns cientistas estão pedindo a uma pílula capaz de impedir a gravidez até 30 dias depois do sexo. (Foto:Divulgação)

Estudiosos estão desenvolvendo a pílula do mês seguinte

Os pesquisadores de Gynuity, nos Estados Unidos, e do Instituto Karolinska, na Suécia, acreditam que as mulheres devem dispor de um medicamento anticoncepcional com resultados mais eficazes. Eles estão pedindo para que as empresas farmacêuticas desenvolvam uma pílula do mês seguinte, ou seja, capaz de impedir a gravidez até 30 dias depois do sexo.

A nova versão do método contraceptivo interrompe a gravidez após a união do óvulo com o espermatozoide. Ela, no entanto, não terá tanto impacto na saúde da mulher como a tradicional pílula do dia seguinte.

Quando consumida com frequência, a pílula do dia seguinte contém os hormônios e impede a liberação do óvulo. Algumas mulheres acabam sofrendo com efeitos colaterais, como náuseas, dores de cabeça e ganho de peso. O contraceptivo aumenta as chances de coágulos sanguíneos e câncer de mama. A pílula do mês seguinte quer mudar esta realidade, afinal, a mulher só vai precisar consumi-la algumas vezes por ano.

A pílula do mês seguinte divide opiniões

Alguns críticos acreditam que a nova pílula vai criar uma rotina de abortos. (Foto:Divulgação)

A nova versão da pílula anticoncepcional pós-sexo está dividindo opiniões. De acordo com o jornal Daily Mail, os ativistas acreditam que o medicamento favorece um tipo de “aborto pelas portas do fundo”.

Norman Wells, da instituição Family Education Trust, é totalmente contra ao desenvolvimento da pílula do mês seguinte. Ele acredita que o pedido dos pesquisadores às empresas farmacêuticas vai desencadear uma verdadeira rotina de abortos entre as mulheres.

O funcionamento da pílula do dia seguinte

Quando mais a mulher demora para tomar a pílula do dia seguinte, menor é a eficácia. (Foto:Divulgação)

Enquanto a pílula do mês seguinte ainda tenta vencer tabus para ser desenvolvida, a versão do dia seguinte continua fazendo sucesso entre as mulheres que abrem mão de um método contraceptivo na hora H. Confira a seguir como funciona a pílula do dia seguinte:

1. A pílula do dia seguinte libera uma carga extra de hormônios, retardando a ovulação e impedindo o encontro do óvulo com o espermatozoide.

2. O medicamento é normalmente composto por dois comprimidos com altas doses de hormônio. O primeiro deve ser tomado no máximo 72 horas após o sexo. A segunda dose vem 12 horas depois.

3. A eficácia da pílula do dia seguinte diminui na medida em que a mulher demora a tomar a medicação.

4. A cartela do medicamento pode ser comprada na farmácia sem receita médica.

Top