Pesquisa afirma que mãe que fuma durante gravidez tem mais chances de ter filho gay

Quem é fumante sabe muito bem os males que o cigarro pode ter na saúde da sua família. Uma mulher gravida é aconselhada sempre…

Por Élida Santos em 13/04/2014

Quem é fumante sabe muito bem os males que o cigarro pode ter na saúde da sua família. Uma mulher gravida é aconselhada sempre a deixar de fumar, pois a criança pode ter vários problemas de saúde graças a essas tragas na gravidez. Mas, um estudo sugere que fumantes gravidas podem interferir mais do que imaginam na vida de seus filhos.

Mulheres gravidas interferem no futuro dos filhos com hábitos (Foto: Divulgação)

Estudo aponta males do cigarro na vida de um bebê

De acordo com um estudo elaborado pelo Dr. Dick Swaab, que é professor de neurobiologia da Universidade de Amsterdam, uma mulher que fuma durante a gravidez pode ter um filho gay por conta disso. A pesquisa aponta que a criança pode ter males também se tiver contato drogas ou se viver em uma área com elevados índices de poluição, podendo ter até um QI menor.

Hormônios sintéticos podem ocasionar homossexualismo na criança

De acordo com esse estudo polêmico, as mães que tomam hormônios sintéticos também aumenta a chance de ter um filho homossexual. E quem bebe muito e usa drogas pode ter uma criança de QI baixo. O estudo avaliou gravidas e crianças após o nascimento e desenvolvimento na infância.

Fumar pode trazer males à saúde da criança (Foto: Divulgação)

Nível de autismo alto para quem vive em área de poluição extrema

De acordo com a pesquisa elaborada pelo Dr. Swaab, as grávidas que moram em uma área de alta poluição aumentam muito as chances de ter um filho com autismo elevado. “A exposição pré-natal à nicotina e anfetaminas tanto aumenta a chance das filhas se tornarem lésbicas. As mulheres grávidas que sofrem de estresse também são mais propensas a ter filhos homossexuais de ambos os sexos, porque seu elevado nível de cortisol, o hormônio do estresse, afeta a produção de hormônios sexuais fetais”, explicou o professor, que defende que a sua tese tem embasamento cientifico.

O levantamento de dados causa muita polêmica, pois algumas pessoas acreditam que homossexualidade é uma questão genética, mas que tem interferências do meio em que cada cidadão vive em seu estado sexual ao longo da vida. Porém, alguns pensam que ser homossexual é questão de escolha.

Top