Perigos enfrentados pelos fumantes passivos

Não são apenas os tabagistas que estão expostos a uma gigantesca quantidade de substâncias nocivas, capaz de desenvolverem inúmeras doenças, pois a fumaça do…

É preciso respeitar a lei que restringe o uso do cigarro

Não são apenas os tabagistas que estão expostos a uma gigantesca quantidade de substâncias nocivas, capaz de desenvolverem inúmeras doenças, pois a fumaça do cigarro que se espalha pelo ambiente traz muito mais problemas do que simplesmente o incômodo do mau cheiro.

Veja também: Obesidade e tabagismo aumentam chances de bebês nascerem com problemas cardíacos.

Os “fumantes passivos” são aquelas pessoas que não fumam, mas infelizmente acabam se expondo à fumaça dos cigarros e a inalam. O que muita gente não sabe ou acaba se esquecendo é que não é necessário estar com o cigarro acesso entre os dedos para sofrer com as muitas complicações à saúde que o tabagismo é capaz de proporcionar. Confira mais sobre o assunto.

O tabagismo passivo é um problema de saúde pública

Os perigos da fumaça do cigarro

A fumaça do cigarro é uma combinação venenosa de mais de 400 substâncias químicas, que se espalham sob a forma de partículas e gases. O cianeto de hidrogênio, dióxido de enxofre, monóxido de carbono, amônia e nicotina são alguns exemplos desses elementos, potencialmente prejudiciais.

Veja também: Tabagismo acelera degradação mental em homens.

É interessante ressaltar que, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, a fumaça do cigarro é classificada como um carcinogênico humano de classe “A”, isso significa que é um produto para o qual, uma vez exposto, sempre haverá prejuízo ao organismo, com grandes chances de causar câncer.

O cigarro possui inúmeros componentes nocivos à saúde

Tabagismo passivo

O tabagismo passivo é um dificuldade tão séria que é considerada um problema de utilidade pública. Os dados são alarmantes, pois estima-se que, na Europa, 79% das pessoas estão sendo diariamente expostas à fumaça de terceiros, enquanto que o índice nos Estados Unidos gira em torno de 88%. O risco ao que as pessoas não tabagistas estão sendo expostas é tão grande que, de acordo com a Sociedade do Câncer da Nova Zelândia, no país, o tabagismo passivo é a terceira causa de morte, logo atrás do tabagismo ativo e do uso de álcool, respectivamente.

Leia Também:  Jovens fumantes passivos tem dificuldade em proteger pulmões

Prejuízos à saúde

Além do fato de estarem expostos à centenas de substâncias extremamente prejudiciais e potencialmente causadoras de graves comprometimentos para a saúde, como doença pulmonar obstrutiva crônica, enfisema pulmonar e até mesmo vários tipos de câncer, os fumantes passivos ainda podem sofrer com ataques de asma, irritação nos olhos e nas vias respiratórias, ataques de rinite alérgica e muitos outros problemas.

O tabagismo passivo é terceira causa de morte na Nova Zelândia

Por todos motivos apresentados é possível perceber a importância de se cumprir a lei que proíbe o uso do cigarro em locais públicos e que ainda exige a demarcação de espaços para fumantes em áreas com grande circulação de pessoas. É necessário respeitar as diferenças, mas sem deixar de lado o respeito pela saúde de terceiros.

Leia também: Como parar de fumar cigarros.

Top