Parábola, O Sonho de Karina

Na última parábola, “Julgando Pessoas” ficou claro que não devemos julgar coisas ou pessoas sem ao menos conhecê-las. você pode ler esta parábola neste post Parábola, Julgando Pessoas.

A parábola de hoje diz a respeito de sonhos e objetivos, se você tem um tem que lutar por ele, custe o que custar…
O Sonho de Karina

Desde pequena, Karina só tinha conhecido uma paixão: dançar e sonhar em ser uma Gran Ballerina do Ballet Bolshoi. Seus pais haviam desistido de lhe exigir empenho em qualquer outra atividade. Os rapazes já haviam-se resignado: o coração de Karina tinha lugar para somente uma paixão e tudo mais era sacrificado pelo dia em que se tornaria bailarina do Bolshoi.

Um dia, Karina teve sua grande chance. conseguira uma audiência com Sergei Devidovitch, Diretor Máster do Bolshoi, que estava selecionando aspirantes para a companhia. Dançou como se fosse seu último dia na terra. Colocou tudo que sentia e que aprendera em cada movimento, como se uma vida inteira pudesse ser contada em um único passo. Ao final, aproximou-se do Máster e perguntou-lhe:

– Então, o senhor acha que posso-me tornar uma Gran Ballerina?

Na longa viagem de volta á sua aldeia, Karina, em meio ás lagrimas, imaginou que nunca mais aquele “não” deixaria de soar, em sua mente.
Meses se passaram até que pudesse novamente calçar uma sapatilha, ou fazer seu alongamento em frente ao espelho.
Dez anos mais tarde, Karina, já tinha uma estimada professora de ballet, criou coragem de ir á performance anual do Bolshoi em sua região.
Sentou-se bem á frente e notou que o Sr. Davidovitch ainda era o Diretor Máster. Após o concerto, aproximou-se dele e contou-lhe o quanto ela queria ter sido bailarina do Bolshoi e quanto doeu, anos atrás, ouvir-lhe dizer que não seria capaz.

– Mas, minha filha, eu digo isso a todas as aspirantes, respondeu o Sr. Davidovitch.

– Como o senhor poderia cometer uma injustiça dessas? Eu poderia ter sido uma Gran Ballerina se não fosse o descaso com que o senhor me avaliou !

Havia solidariedade e compreensão na voz do Máster, mas ele não hesistou ao responder:

– Perdeo-me, minha filha, mas você nunca poderia ter sido grande o suficiente, se foi capaz de abandonar seu sonho pela opnião de outra pessoa.

O primeiro passo, para se realizar um objetivo, é ter a convicção de que é possível alcançá-lo, não importando em quantas tentativas.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Reply