O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado

O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado

O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado? A resposta é mais simples do que o próprio procedimento e olha que para sentir…

Por Redacao em 10/08/2015

O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado? A resposta é mais simples do que o próprio procedimento e olha que para sentir essa dor de cabeça você nem precisa estar passando por uma situação assim, pois basta imaginar todo o processo. Pensando em ajudar quem está vivendo uma experiência assim, criamos este artigo com dicas importantes para que você resolva, se realmente tiver o carro clonado, de forma segura e clara.

O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado (Foto Ilustrativa)

O Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado

Então, siga algumas dicas do Que Fazer Quando Se Tem Um Veículo Clonado, pois a melhor forma é comunicar rapidamente as autoridades sobre esse possível golpe. Mas antes disso, é preciso identificar alguns sinais de que a clonagem possa ter ocorrido e saiba que o chamado ‘dublê’ pode não necessariamente ser colocado num carro igual o seu, portanto vamos aos sinais.

Leia mais informações sobre: PARCELAMENTO IPVA 2015 PASSO A PASSO

Alguns indícios de clonagem

Todo o motorista faz um percurso rotineiro, passando exatamente pelos mesmos pontos quase todo dia. E ainda quando muda de caminho é sempre paralelo ao que sempre fez. Então, fique atento se receber alguma multa ou notificação. Leia com atenção o dia, a hora e o local da infração. Quando se faz uma determinada viagem, geralmente anotamos a data na agenda ou na cabeça mesmo, então, se a multa for naquele dia pode ser sua, mas se não pode ser realmente clonagem.

Multa em lugares e horários desconhecidos podem ser sinal de clonagem (Foto Ilustrativa)

Se você chegou a conclusão de que não passou por tal local, não espere. Aliás, não espere a multa vencer para fazer algo, pois nem sempre os órgãos autores da infração comunicam o motorista no ato ou até mesmo via notificação, tendo em vista que muitas pessoas nem se quer conseguem recorrer.

O que fazer?

Desconfiou? O primeiro passo é procurar o Detran (Departamento Estadual de Trânsito) da sua cidade. Lá, comunique ao órgão que há uma suspeita sobre clonagem e que você nem sequer usa a via descrita na multa. É importante que saiba que ainda, infelizmente, não existe uma lei específico de como conduzir situações de clonagem.

Primeiro passo é procurar a sede do Detran do seu estado para informar a suspeita (Foto Ilustrativa)

O único e primeiro passo é justamente recorrer da aplicação da multa, procedimento comum as vezes para indicar um outro condutor ou algo assim. Então, não adianta ir lá achando que vai resolver tudo no dia. Existem casos de multas e processos que rolam por anos. Mas indo ao órgão estadual você já criando provas de que está procurando ajuda para resolver um problema grave, do que você não tem realmente nada a ver.

Leia mais informações sobre: CARTÃO DE CRÉDITO CLONADO, SAIBA O QUE FAZER

Sem legislação

Como não há leis específicas para isso, a pessoa que teve o carro clonado só tem uma alternativa ir ao Denatran e explicar que não cometeu a multa ou ainda descobrir se o seu veículo foi clonado. Para justificar que não cometeu a multa o proprietário do carro deverá fazer carta de próprio punho dizendo onde estava com o verdadeiro carro no momento que recebeu a multa e, de preferência, colocar junto com a declaração um documento que prove o que esta dizendo, como um bilhete de estacionamento, por exemplo. No site do Denatran existe instruções de como proceder nesses casos. E para descobrir se o carro está irregular, pode ser feita uma vistoria de chassi no Ciretran (Circunscricional Regional de Trânsito) da cidade.

Não há legislação específica que trata sobre o procedimento para resolver a clonagem (Foto Ilustrativa)

Para tentar prevenir-se desse tipo de situações, os cuidados se iniciam quando for comprar um veículo. As revendedoras de veículos, certificam sobre o histórico do carro, através de uma empresa privada que verifica o número da carroceria, os selos de marcação, os vidros, motor etc. No caso de irregularidade, o veículo não é adquirido, segundo Wesley Lopes Cordeiro, vendedor da revendora Veroneze Veículos, de São Paulo.

Top