domingo, 14 de agosto de 2022 - 14/08/2022 03:16:16
MundodasTribos

As novas regras tornam a concessão do seguro um pouco mais difícil.

O seguro-desemprego é oferecido ao trabalhador como uma forma de assistência financeira temporária, sendo destinado aos indivíduos que foram demitidos sem justa causa. O valor do seguro pode ser recebido em no máximo cinco parcelas e a quantia mínima condiz com o salário mínimo, que hoje é de R$ 622.

As novas regras do seguro-desemprego começaram a valer em alguns lugares do Brasil. As mudanças que foram realizadas na concessão do benefício trabalhista procuram valorizar um projeto que já tinha sido proposto pela presidente Dilma Rousseff, ou seja, a profissionalização dos requerentes do seguro-desemprego.

A nova lei se destaca como um incentivo para que o trabalhador busque qualificação e melhore a sua visibilidade no mercado de trabalho.

Saiba mais: Novas regras para seguro-desemprego, quais são

O que este artigo aborda:

Entenda as novas regras do seguro-desemprego

O Governo Federal criou novas regras para o recebimento do seguro-desemprego. De acordo com o decreto, a concessão do benefício vai se tornar mais difícil para o trabalhador que solicitá-lo pela terceira vez no período de 10 anos. Para receber a assistência financeira durante o tempo em que estiver desempregado, ele precisa se inscrever em um curso habilitado pelo Ministério do Trabalho.

O curso profissionalizante deve ter no mínimo uma carga horária de 160 horas.

Os cursos para receber o seguro-desemprego são oferecidos gratuitamente pelas instituições de ensino, como o Senai ou os institutos federais. O trabalhador pode optar pela modalidade de formação inicial, continuada ou de qualificação profissional. As novas regras estipulam que a carga horária mínima do curso escolhido seja de 160 horas.

A formação profissionalizante que será oferecida ao trabalhador que deseja receber o seguro desemprego condiz com a área de atuação, ou seja, se seus últimos empregos foram relacionados ao setor de vendas, a instituição de ensino deve disponibilizar um curso que valorize e aprimore a sua experiência. Entretanto, o trabalhador também tem a possibilidade de escolher um curso de outra área.

Como solicitar o curso com a nova lei?

O trabalhador que deseja fazer a solicitação de um curso profissionalizante com a nova lei deve procurar um posto de atendimento (PAT) e fazer o pedido de uma vaga. A Secretaria de Emprego fará então o requerimento junto a Secretaria da Educação. Dentro de pouco tempo o profissional é encaminhado para a qualificação.

Para dar sustentação ao pedido de seguro desemprego pela terceira vez em dez anos, o trabalhador precisa apresentar um comprovante de matrícula e também outro documento que confirme a sua frequência nas aulas.

Veja também: Consulta seguro desemprego

A qualificação ajudará o desempregado a se posicionar no mercado de trabalho.

O conteúdo "Novas regras seguro-desemprego 2012" foi feito por Isabella Moretti e distribuído por MundodasTribos na categoria Seguro Desemprego em . Conteúdo atualizado em .

Isabella Moretti

Publicitária, pós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais. É também empresária e CEO & Founder do ViaCarreira

1

Pode ser do seu interesse

Como ter agilidade no seguro-desemprego

Como ter agilidade no seguro-desemprego

Novidades e mudanças no seguro desemprego

Novidades e mudanças no seguro desemprego

Consulta Seguro Desemprego

Consulta Seguro Desemprego

Homolognet Cadastrar Seguro Desemprego Online

Homolognet Cadastrar Seguro Desemprego Online

Novas regras para o seguro-desemprego: quais são

Novas regras para o seguro-desemprego: quais são

O que pode bloquear o seguro desemprego

O que pode bloquear o seguro desemprego