No Alto – Plataforma

Que as mulheres adoram um bom salto, isso é fato. Mas os sapatos, até a década de 1930, ainda não andavam nas alturas, e…

Que as mulheres adoram um bom salto, isso é fato. Mas os sapatos, até a década de 1930, ainda não andavam nas alturas, e foi a partir desta época que a sola ganhou alguns centímetros e uma ótima parceira: a plataforma.

Além de fazer com que as mulheres normais (leia-se de altura mediana, 1,60m) se empolgassem com tais centímetros a mais, a plataforma proporcionava, e ainda proporciona, um conforto extremo que nenhum salto baixo oferecia, mesmo estes sendo mais elegantes.

Essas sandálias com solas pesadas, usadas basicamente com calças, vieram ao mundo fashion na década de 1930, mais especificamente de 1933 para 1934, juntamente com tempos mais darks e sérios.

Na década de 1920, André Perugia era o principal shoemaker, o que ditava a moda dos sapatos. Suas criações eram super delicadas. Épocas mais sombrias viriam, em 1929 aconteceu o crash da Bolsa de Nova York, depois as grandes guerras de 1939 à 1945, e no ponto de vista da moda, os modelos delicados de Perugia não eram muito propícios.

Salvatore Ferragamo, um designer italiano, resolveu mexer os pauzinhos e colocou suas idéias inovadoras e revolucionárias à prova de Hollywood. Suas criações contavam com corda, madeira e cortiça usados no solado dos calçados, visto que o couro, naquela época, não era uma opção. Paris inteira adotou os tamancos de madeira de Ferragamo.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, Dior apresentou o New Look e, ao mesmo tempo, os calçados de plataforma de madeira iam saindo de cena. Até que na década de 1950, Carmen Miranda surge para brilhar com todo o seu gingado e suas plataformas altíssimas. Calçado adotado pela estrela que possuía 1,50m de altura apenas. Pequena grande notável e sabida das coisas.

Continuar Lendo  Como usar Vermelho - Dicas e Looks

Dando um pulo no tempo do mundo fashion e parando na década de 1970, a época da discoteca e do paz e amor, Studio 54 e hippies. Aqui, as plataformas conquistaram um espaço só delas contando com muitos modelos variados, texturas, cores, customização, patchworks.

Dez anos depois, nos anos 1980, Madonna adotou o calçado também. Na década de 1990, em 1993 precisamente, a estilista extravagante, Vivienne Westwood desenvolveu uma mega-ultra-hiper-plataforma azul com textura croco e colocou Naomi Campbell para desfilar em cima. Resultado? O maior tombo, claro.

A plataforma continua fazendo a cabeça e os pés da mulherada. Ganharam design requintado, ou então bem descolado e até sem salto algum. Lady Gaga é adepta ferrenha dos modelos ultra-mega-altos com ou sem saltos. Excêntrica, a cantora é vista com modelos de Alexander McQueen, Antonio Berardi, Noritaka Tatehana, OTT, e vários outros.

O verão 2012 está chegando, minha gente, e com ele as plataformas. Elas aparecem como anabelas, wedges, espadrilhas, clogs e tamancos, de solado de corda, ráfia e cortiça. Veja na galeria alguns dos modelos mais atuais e onde comprar.

Não suba nas paredes, suba no salto!

Top