Neta de Jorge Amado apresenta adaptação de ‘Capitães de Areia’

A história do fabuloso livro ‘Capitães de Areia’ de Jorge Amado chega ao público em um versão cinematográfica produzida pela neta do escritor. A…

A história do fabuloso livro ‘Capitães de Areia’ de Jorge Amado chega ao público em um versão cinematográfica produzida pela neta do escritor. A adaptação da obra parece vir para emocionar os admiradores do autor baiano.

Cecília Amado leu, como todos deveriam fazer, e se apaixonou pelo livro do avô. Assistente de direção em mais de 30 filmes, diretora de TV (“Cidades dos Homens”), ela, junto ao marido fotógrafo Guy Gonçalves, traz o longa da história.

De acordo com suas informações, a gravação desenvolveu-se durante nove semanas, em nove meses. A falta de dinheiro para investir na produção proporcionou alguns empecilhos. Entretanto, Cecília resolveu utilizar tais problemas ao seu favor, causando uma gravação cronológica, auxiliando em alguns processos, como por exemplo o do personagem Pedro Bala, interpretado por Jean Luís Amorim, que começa menino e termina homem.

A neta de Jorge trouxe ao filme uma experiência rara ao cinema. Fazer com que o telespectador sinta a cena de um modo que não consiga tirar os olhos da tela. A irregularidade, a impureza, tudo vira processo. Há momentos em que quem assiste ao longa gostaria de fechar os olhos para apreciar a musicalidade da trilha de Carlinhos Brown.

Escrito em 1930, em plena ditadura do Estado Novo, Jorge Amado trouxe um ar político a obra. Cecília disse que a política “foi pro espaço”, mas o que realmente interessa é humanidade das personagens, lição esta vinda do avô. Ela comenta o estado espiritual de Jorge Amado, não como mito, mas como homem. Acrescenta que ele amava as pessoas e era isso que tentava passar a ela, a incansável curiosidade pelo outro.

Alguns aspectos de outros filmes podem ser encontrados no longa de ‘Capitães de Areia’, como elementos de ‘Cidade de Deus’ e de ‘Cidade dos Homens’. Garotos de periferia, de rua, a violência, tudo está muito explicito no filme. Mas um diferencial causa comoção a quem assiste: a história de vida deles. Todos, independente de rejeição ou não, têm uma história, não surgiram do nada. Juntos esses garotos formam uma família: os ‘Capitães de Areia’.

Leia Também:  Dona da Daslu Eliana Tranchesi é condenada em 94 anos de Prisão

De 700 candidatos foram reduzidos para 90 as pessoas que concorriam uma vaga no filme. Há aqueles que nunca imaginavam um dia ser ator. Jean Luís, que faz Pedro Bala, líder do grupo, era músico e fazia parte do projeto Axé. No livro, Pedro Bala e Dora, única figura feminina do bando e mulher do líder, são loiros, característica essa que não foi teve adesão ao longa. “Deve ter sido alguma influência russa no imaginário do meu avô”, disse Cecília. Por fim 24 foram selecionados para compor o elenco do filme.

Aqueles que fazem os 12 papéis de peso já até criaram um grupo de teatro, nomeado como Novos Capitães. Eles já preparam uma adaptação do livro para estrear ano que vem, quando se comemora o centenário de Jorge Amado.

O filme ‘Capitães da Areia’ estreia nesta sexta-feira (07) nos cinemas.

Assista ao trailer:

Top