Natação e Ginástica Rítmica roubam a cena no o Pan e garantem mais três ouros para o Brasil

O nadador Thiago Pereira continua sua caça ao mesatenista Hugo Hoyama para ver quem termina o Pan de Guadalajara com o maior número de…

Por Redacao em 18/10/2011

AFP PHOTO / HECTOR GUERRERO

O nadador Thiago Pereira continua sua caça ao mesatenista Hugo Hoyama para ver quem termina o Pan de Guadalajara com o maior número de medalhas de ouro na história do Brasil nos Jogos. Se um pouco mais cedo Hoyama havia faturado sua 10ª medalha dourada, Thiago não deixou por menos e à noite ganhou seu nono ouro em Pans, na prova dos 100m costas. Até aqui, Thiago segue com 100% de aproveitamento no México, já que ganhou a medalha dourada nas três provas em que competiu. Na mesma disputa, a natação brasileira assegurou também a medalha de bronze graças ao bom desempenho de Guilherme Guido.

Thiago Pereira venceu a prova dos 100m costas. É o terceiro ouro dele no Pan do México

Polêmica e ouro para o Brasil

Uma polêmica envolvendo um nadador brasileiro marcou as competições nas piscinas de Guadalajara no terceiro dia de competições. Na final dos 200m borboleta, o jovem atleta Leonardo de Deus, de apenas 20 anos, faturou a medalha de ouro em sua primeira prova em Jogos Pan-Americanos, mas foi desclassificado da prova por conta de um patrocínio irregular na touca. Porém, poucos minutos depois, a organização dos Jogos analisou o caso, reconsiderou a decisão e confirmou a vitória do brasileiro. Depois de tanto sofrimento, Leonardo subiu ao pódio visivelmente emocionado para receber sua medalha.

Ainda nos 200m borboletas, o atual campeão pan-americano Kaio Márcio marcou o terceiro melhor tempo e ficou com a medalha de bronze para o Brasil. Agora, a natação brasileira soma 12 medalhas em Guadalajara: seis de ouro, quatro de prata e duas de bronze.

Meninas da ginástica rítmica fazem história em Guadalajara

Conjunto da ginástica rítmica fatura mais um ouro

O conjunto do Brasil conquistou o segundo ouro no Pan de Guadalajara. Desta vez, o título veio na prova de conjunto com cinco bolas. As meninas do Brasil tiraram 25,050 pontos e superaram as americanas e as canadenses, que completaram o pódio, respectivamente. No domingo, as brasileiras conquistaram o primeiro ouro do Brasil na modalidade.

Quem brilhou também foi a paranaense Angélica Kvieczynski. No terceiro dia de provas, a ginasta conquistou dois bronzes, um na prova do arco e o outro na disputa com a bola. No domingo, Angélica já havia levado outra medalha de bronze.

Com as medalhas obtidas nesta segunda, a ginástica rítmica do Brasil chegou à quinta conquista em Guadalajara.

Top