Mutirão de empregos online oferece 12 mil vagas até sábado

PUBLICIDADE

As oportunidades de emprego no Brasil tornaram-se ainda mais complicadas com o início da pandemia do coronavírus, portanto é interessante aproveitar todo tipo de oportunidade que surge, e no Anhangabaú ocorrerá um mutirão de empregos, promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores e a UGT. 

Esse mutirão continuará até o dia 04/09 com início no dia 30 de agosto de 2021. Essa ação é bem conhecida por possuir enormes filas, no centro da cidade de São Paulo, e a segunda edição será online. No ano passado eram cerca de 300 mil cadastros para apenas 8 mil vagas. 

Quantas empresas oferecerão vagas?

Serão 45 empresas que oferecerão vagas com mais de 12 mil propostas na área comercial, indústria e demais serviços. Para ser possível participar devem apenas se cadastrar no site o que equivalerá à um currículo, por exemplo, além de informar dados sobre escolaridade, habilidades, cursos e demais experiências. Os dados para contato são importantes!

PUBLICIDADE
Mutirão de empregos online oferece 12 mil vagas até sábado
Fonte/Reprodução: Original

O principal objetivo é fazer com que as barreiras entre os candidatos e o RH sejam diminuídas, de acordo com o presidente da UGT e sindicato dos Comerciários, Ricardo Patah. Com as taxas de desemprego, os números de candidatos continuarão a aumentar em níveis exponenciais.

Outros dois sindicatos participam desse mutirão: Sindicato do Asseio e Conservação, mais conhecido como Siemaco e Sindicato dos Padeiros.

Desemprego no Brasil

No primeiro trimestre de 2021 as taxas de desemprego chegaram a 14,6% e foram divulgadas no final do mês de julho pelo IBGE. Apenas em São Paulo é possível ver a mesma porcentagem de taxa apontada por uma análise realizada por Seade e divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 

Houve uma pequena diminuição desta taxa de 0,6%, o que claramente ainda é um problema enorme no Brasil porque o desemprego continua a aumentar sem parar. Grande parte disso se dá pela pandemia do coronavírus, uma vez que diversos trabalhadores MEI precisaram fechar suas portas por falta de clientela e pelo medo de se infectar.

PUBLICIDADE

São 14 milhões de desempregados à procura de um novo trabalho para sustentar a si e a família, porém muitas empresas passaram a ser ainda mais exigentes em um momento completamente problemático.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.