Músicas Que Acalmam Bebês

Que a música é uma paixão quase unânime, disso ninguém duvida. Volta e meia estamos ouvindo música enquanto navegamos pela internet, caminhamos pela rua…

Que a música é uma paixão quase unânime, disso ninguém duvida. Volta e meia estamos ouvindo música enquanto navegamos pela internet, caminhamos pela rua ou estamos de bobeira em meio ao ócio. Em outros casos podemos até estar cantarolando alguma canção que não sai da nossa cabeça por nada. São muitas as formas, mas o fato é que gostamos mesmo de música, e talvez esse gosto já seja estimulado desde a  infância.

Quem tem um bebê em casa sabe qual a importância dos sons a sua volta, não é mesmo? Especialmente quando estamos falando de música. As canções são parte integrante da infância da maioria das pessoas, tanto que a maioria delas permanece em nossa mente mesmo na idade adulta.

O repertório é vasto e sempre usado durante brincadeiras ou quando as crianças estão mais agitadas como uma forma de acalmar. E o bebê adora, afinal a música tem um impacto muito grande no desenvolvimento infantil: como o ouvido também é responsável pelo equilíbrio dos nossos movimentos, a música estimulará as habilidades motoras e a percepção de tempo e espaço. Se for usada como forma de acalmar então, a afetividade entra como um fator importante porque nesse momento a canção envolve ainda benefícios emocionais e afetivos que serão levados por toda a vida.

Especialistas afirmam que os bebês que crescem em ambientes ricos em termos de estímulos musicais tendem a se tornar menos ansiosas e mais confiantes. Também afirmam que outra tendência é desenvolver aprendizagem e comunicação mais rapidamente que crianças sem o mesmo incentivo, e não se trata somente de aprender um instrumento musical. É questão de estímulos mesmo.

Hoje, muito dessa estimulação pela música é feita na escola através de métodos de aprendizado cantados especialmente durante o período de alfabetização. As musiquinhas cantadas na escola possuem sílabas rimadas e repetitivas, e também gestos de coreografia para fixação do aprendizado. Com o seu canto, a música propicia maior significado e confiança para a criança, fazendo com que a lição seja consolidada de forma mais eficiente que a tradicional. A música também beneficia a concentração, facilita o aprendizado de outros idiomas e potencializa a memória do aluno.

São muitos benefícios, não? Com certeza, mas caso esteja interessado em começar o estímulo musical para o seu bebê saiba que isso não precisa ser feito com exagero. Caso a música esteja presente a todo momento corre o risco de se transformar apenas em mais um ruído sem contexto, e esse aprendizagem requer sim contextualidade. Ela precisa ser integrada com momentos como o brincar, dançar ou o dormir.

Sendo assim, quem procura músicas especialmente para estimular e ao mesmo tempo acalmar os bebês tem várias opções. Alguns especialistas falam na eficiência da música clássica nessa área, sendo até que já existem CDs de coletâneas com tal propósito, mas não há nada conclusivo quanto a isso, sendo assim os pais estão livres para montar uma playlist para seu bebê. E caso desejem aqui vão algumas sugestões dadas em uma edição antiga da revista Crescer:

– Melodia simples: Hoje há um repertório vasto de canções do gênero, com melodias simples e repetitivas muito parecidas com as de uma caixinha de música, porém saiba que esse estilo pode não ser o preferido do bebê, que logo pode se sentir entediado.

Música clássica: É uma opção promissora e ainda mais aconselhável caso os pais também gostem do gênero. A sugestão é optar pelas músicas do estilo de Mozart, que são rápidas e leves se comparados a tensão de certas peças de outros compositores.

Letras fáceis: Quando o bebê estiver aprendendo a falar, opte por canções de melodias e letras fáceis para que o bebê possa entender e decorar.

São dicas simples e que com certeza farão um bem imenso para o desenvolvimento da criança.


Top