Música na Moda

Todo mundo deve ter ouvido aquele clássico conselho “seja você mesmo, com as suas características”.  Todos nós nos inspiramos em diversas coisas e pessoas,…

Inspiração

Todo mundo deve ter ouvido aquele clássico conselho “seja você mesmo, com as suas características”.  Todos nós nos inspiramos em diversas coisas e pessoas, e a inspiração é uma experiência que faz com olhemos para nós mesmos no intuito de prestar atenção e podermos descobrir o que queremos ser. Confuso, né? Nem tanto.

Essa experiência faz parte da vida e, ao longo dela, mais nos descobrimos e nos tornamos nós mesmos. Ter uma pessoa como inspiração é muito natural e isso acontece muito na moda, música, e etc. A moda trabalha com a originalidade buscando idéias e inspirações pelo mundo, criando a partir de uma coisa já existente, a partir daí aplica-se o elemento na criação e faz com que ele se funda ao novo. Por exemplo, a nova coleção dos irmãos Campana para a Melissa, tem como inspiração a planta costela-de-adão. Pronto! A folha foi a inspiração para que os designers desenvolvessem a sapatilha, nela é possível encontrar elementos originários da planta. Idéias e inspirações existem em qualquer lugar, em qualquer momento e em qualquer coisa, seja ela física ou abstrata.

Melissa Costela-de-Adão

Com esses exemplos, eu ressalto ainda que o estilo é uma questão de se identificar, buscar quem e o quê você almeja se tornar e, para isso, tem de ir atrás das suas inspirações. Pode ser alguma pessoa da sua família, uma atriz, ator, esportista, músico, artista. A partir dessa busca, faça adaptações para o seu estilo e viva sua vida.

Para dar seguimento à toda essa filosofia, eu resolvi falar sobre a música e em como ela influenciou e influencia a moda usada por nossos ídolos. A música sempre nos inspira de alguma forma, e a todo o momento somos bombardeados por novos modelos de pessoas e suas atitudes. Algumas nós concordamos e outras nem tanto, e tem pra todo mundo, né?

Leia Também:  Loja online oficial da Madonna no Brasil

Falando um pouco daqueles que fizeram historia na música e, conseqüentemente, na moda, selecionei cinco influências diretas. São eles: Janis Joplin, Debbie Harry, The Rolling Stones, The Sex Pistols e Madonna.

Janis Joplin, a diva do blues-soul-country-psicodélico-rock, tinha um estilo único, enfatizado pela década em que estourou no cenário musical, os anos 1960. A cantora tinha por característica usar roupas feitas em casa, artesanais mesmo, customizadas com bordados, contas e miçangas. Batas e saias no estilo boho, calças boca-de-sino de veludo usadas com botas de cowboy e seus inseparáveis óculos redondos. Ela também era adepta do tie-dye, couro e muitos acessórios. Janis inventou um estilo único que a transformou em uma mestra no quesito tudo-junto-e-misturado. Grande Janis!

 

Janis Joplin

Outra grande mulher na música é Debbie Harry. A primeira princesa do punk rock tinha um estilo mais ácido e apostava nos shorts pretos super curtos, meias desfiadas propositalmente, camisetas e tudo isso era ressaltado pelo tom loiro-platinado de seus cabelos. Quebrar regras era com ela mesma, aparecia usando saias ultra curtas acentuando suas belas curvas. Essa combinação de sensualidade e força que fez de Debbie Harry um ícone e símbolo da década de 1980.

Debbie Harry

The Rolling Stones eram os rapazes rebeldes e rudes, que faziam letras sobre “mulheres fáceis”, sexo e prazer. Usavam calças justas e jaquetas de veludo, blusas de seda, blusas com rufos e babados, e tinha os cabelos compridos. Foram muito criticados na época em relação ao visual, e esse estilo revolucionário teve impacto na imagem da banda, imagem essa que é reconhecida como a do verdadeiro rockstar. Eles não se satisfazem.

The Rolling Stones

E os garotos do Sex Pistols? Em quê eles influenciaram? Em tudo, minha gente! Jeans detonados, puídos, rasgados, tachas e spikes nas jaquetas de couro, meias rasgadas, rasgar pra colocar alfinetes nas roupas, além de piercings e tatuagens pelo corpo e cabeças raspadas ou com moicanos. Estes eram os líderes do punk rock, um movimento que revolucionou a indústria da música e da moda, com patrocínio de Vivienne Westwood.

Sex Pistols

Madonna é a rainha da controvérsia e ousadia. Com suas atitudes, fomos apresentados à renda, cabelos provocantes, muito couro, elastano, muitas cores, muito tudo. Madonna era os anos 1980, literalmente, e todo mundo a tinha como inspiração, seja pelos cabelos ou pelas roupas, ou então na maquiagem, lá estava ela. Camaleoa que só, a cantora teve vários estilos e fases ao longo da carreira. A fase da lingerie de renda, do cabelo enorme, das jóias pretas, a fase Marilyn Monroe, a deusa do sexo na turnê Blonde Ambition. E aquele sutiã de cone? Créditos à Jean Paul Gaultier. Madonna sabe se reinventar.

Madonna década de 1980

Enfim, musas e “musos” todos nós temos, mas não podemos deixar nossa identidade sumir.

Leia Também:  Dia Mundial do Rock, conheça a origem

Top