Morre cão arrastado pelo dono por quarteirões em Piracicaba

Morreu durante a noite o rottweiler arrastado por vários quarteirões preso ao carro do dono em Piracicaba (SP). Segundo nota divulgada pela ONG Vira-Lata…

Morreu durante a noite o rottweiler arrastado por vários quarteirões preso ao carro do dono em Piracicaba (SP). Segundo nota divulgada pela ONG Vira-Lata Vira-Vida, que cuidava do cão após o ocorrido, Lobo morreu devido a complicações no quadro clínico e que mais detalhes sobre a causa da morte serão divulgados após a necropsia do animal. Lobo, que estava internado em uma clínica veterinária desde então, chegou a ter uma das patas dianteiras amputadas após o caso.

Os ferimentos aconteceram no dia 2 de novembro, quando o cão, que estava amarrado a uma corda ao carro do mecânico Claudio César Messias, foi arrastado por diversos quarteirões. De acordo com duas testemunhas ouvidas pelo delegado Wilson Sabino, quando foi alertado, o mecânico disse que “acabaria de matar” o cachorro, mas deixou o local após presenciar a reação de moradores da região. Porém, em depoimento, Messias disse que havia saído pra passear com o animal, que estava na caçamba do veículo e não viu Lobo cair. Alegou também que ficou nervoso ao achar que o cão estava morto e foi embora.

O delegado declarou que não pode afirmar se houve ou não intenção por parte do dono de maltratar o animal, mas que houve sim imprudência de qualquer modo. De acordo com ele, em casos do tipo não há indiciamento, mas um encaminhamento para que a Justiça defina qual tipo de medida deve ser aplicada.

No último dia 9, a Polícia Ambiental de Piracicaba aplicou uma multa de R$ 1.500 ao dono do animal. A autuação, que veio por mutilação de animal doméstico teve um laudo veterinário como base e não avalia a culpa do mecânico, mas sim o fato de que o animal sofreu o resultado mutilador. Já o advogado do mecânico declarou que irá recorrer da multa por esta não ser compatível a renda de seu cliente. Reclamou também do que chamou de “linchamento público”, porque Messias ainda não teve oportunidade de se defender.

Leia Também:  Idosos com diabetes: cuidados

Top