Modelos de Grafite Faber Castell, Preços

Tudo começou com o primeiro lápis de chumbo fabricado pelo marceneiro Kaspar Faber em Stein, Alemanha. A partir daí, a então A.W. Faber começa…

Por Editorial MDT em 21/05/2011

Tudo começou com o primeiro lápis de chumbo fabricado pelo marceneiro Kaspar Faber em Stein, Alemanha. A partir daí, a então A.W. Faber começa a crescer com a fabricação desse pequeno, barato e simples, mas importante objeto. Muitos planos, músicas, cartas, estudos e pesquisas já foram escritos com o lápis, cuja existência é imprescindível para o ser humano.

Em 1898, a Baronesa Ottilie von Faber, única herdeira da família Faber, casa-se com o Conde Alexander zu Castell-Rüdenhausen. Assim, nasce a empresa cujo nome conhecemos bem: a Faber-Castell.

Os lápis produzidos pela Faber-Castell já estavam sendo vendidos em todo o mundo quando, em 1948 surgiu o “Lápis-TK”, onde a madeira que envolvia o grafite foi substituída pelo plástico. Mais tarde, a invenção ficou conhecida como “lapiseria”, uma inovação no mundo, principalmente para a confecção de desenhos técnicos. Ele foi um sucesso em todo o planeta e o seu projeto foi se modernizando até chegar às lapiseiras que conhecemos atualmente.

Muitas pessoas preferem as lapiseiras para escrever, pois ela é mais prática, não precisando ser apontada, no caso dos grafites mais finos. No caso dos grafites grossos, a vantagem sobre os lápis é que a lapiseira vem com o apontador na extremidade oposta ao grafite e não é preciso comprar outra lapiseira quando o grafite terminar. É preciso comprar apenas o grafite.

Por outro lado, as lapiseiras surgiram em inúmeros modelos, chamando a atenção de crianças e adolescentes, com cores, formatos, tamanhos e estampas diferentes. Assim, o número de lapiseiras nas carteiras escolares foi aumentando.

No entanto, é preciso escolher o grafite ideal para cada fase escolar. As crianças em princípio de alfabetização não têm muita firmeza para escrever e ainda não possuem boa coordenação motora. Por isso, deve ser usado um grafite mais grosso como o 1,6mm. Com o passar do tempo, é possível notar o modo que a criança pega no lápis e escreve. Se ela aplica muita força no papel, é preferível que ela continue usando os grafites grossos. Porém, se ela for mais delicada, os grafites finos como o 0,5mm ou o 0,7mm podem ser adotados.

Cada tipo de grafite é usado para uma finalidade: os mais grossos são mais recomendados para desenhos, tanto técnicos quanto artísticos, enquanto os mais finos, para a escrita ou para desenhos delicados.

Os modelos de grafite Faber-Castell disponíveis e os seus preços são os seguintes:

– Grafite 0,5mm B: R$3,00.

– Grafite 0,5mm HB com duas caixas com 12 unidades: R$5,30.

– Grafite 0,5mm 2B: R$3,30.

– Grafite 0,7mm B: R$3,00.

– Grafite 0,7mm 2B: R$2,25.

– Grafite 0,7mm HB com duas caixas com 12 unidades: R$9,90.

– Grafite 0,9mm 2B: R$2,50.

– Grafite 0,9mm B: R$2,00.

– Grafite 1,4mm B: R$7,00.

– Grafite 1,6mm B: R$1,00.

– Grafite 2,0mm B: R$1,30.

A fábrica da Faber-Castell do Brasil fica em São Carlos, interior de São Paulo, e emprega aproximadamente 2.700 funcionários. O Brasil é líder mundial na produção do EcoLápis, ou seja, dos lápis fabricados com madeira plantada, com 1,8 bilhões de unidades feitas para abastecer o mercado interno e mais 70 países. Por isso, a Faber-Castell é um exemplo de sustentabilidade industrial e não para de crescer, fornecendo o material necessário para a formação de crianças criativas, inteligentes e conscientes.

Top