Mitos e verdades sobre Síndrome de Down

A Síndrome de Down é resultado de uma anomalia genética durante a divisão embrionária. O portador do distúrbio, ao invés de possuir dois cromossomos…

Por Isabella Moretti em 21/03/2013

A Síndrome de Down é resultado de uma anomalia genética durante a divisão embrionária. O portador do distúrbio, ao invés de possuir dois cromossomos 21, possui três. Não se sabe ao certo porque a alteração celular acontece, mas a trissomia do cromossomo 21 faz com que a criança nasça com características peculiares.

Pessoas com Síndrome de Down podem trabalhar. (Foto:Divulgação)

Saiba mais: Crianças com Síndrome de Down: como estimular

Os portadores de Síndrome de Down possuem características físicas em comum, como orelhas pequenas, olhos oblíquos, língua grossa, nariz achatado e uma única dobra na palma da mão. Eles também podem apresentar um atraso no desenvolvimento intelectual e dificuldades para articular a fala.

Os indivíduos diagnosticados com a anomalia genética estão buscando espaço na sociedade e provando que são capazes de ter uma vida normal. Já existem também instituições dispostas a conscientizar as pessoas sobre a Síndrome e acabar com o preconceito ainda latente.

Mitos e verdades sobre a Síndrome de Down

Veja a seguir os mitos e verdades sobre a Síndrome de Down e esclareça as principais dúvidas sobre esta alteração genética.

Bebês de mulheres mais velhas possuem mais chances de ter Síndrome de Down.
Mito. Na medida em que a mulher envelhece, aumentam as chances de ela dar à luz a um bebê com trissomia do cromossomo 21, no entanto, os dados mostram que 80% das crianças que nascem com Síndrome de Down são filhos de mulheres mais jovens.

Pessoas com Síndrome de Down possuem mais chances de nascer com cardiopatias congênitas
Verdade. Cerca de 40% dos portadores da síndrome nascem com alguma anormalidade na estrutura ou função do coração. O problema é tido ainda como a principal causa de morte entre as crianças com trissomia do cromossomo 21.

Crianças com Down podem frequentar a escola normal. (Foto:Divulgação)

Criança com Down só pode estudar em escola especial.
Mito. A família deve matricular o portador da síndrome em uma escola normal para que ele se sinta incluído na sociedade. As instituições de ensino normalmente desenvolvem projetos pedagógicos que contribuem com o aprendizado dos deficientes.

Pessoas que nascem com Síndrome de Down morrem cedo.
Mito. Na década de 40, a expectativa de vida das pessoas com Down era de 12 a 15 anos de idade. No entanto, graças aos avanços médicos, hoje é possível encontrar portadores da síndrome chegando à terceira idade, ou seja, com 60 e 70 anos.

Exercícios físicos estão proibidos para portadores da Síndrome de Down.
Mito. Quem tem Down pode e deve praticar exercícios físicos, desde que passe por uma avaliação médica antes para não colocar a saúde em risco.

Pessoas com Down podem trabalhar.
Verdade. Apesar do desenvolvimento intelectual um pouco mais lento, o portador da síndrome pode trabalhar tranquilamente. Esta experiência é muito importante para ele, pois ajuda a construir uma identidade adulta.

Síndrome de Down não é sinal de esterilidade. (Foto:Divulgação)

Casais com a síndrome não podem ter filhos.
Mito. Quando um homem e uma mulher com Down se relacionam, eles possuem plenas condições de gerar um filho. No entanto, o bebê tem 80% de chances de também desenvolver a alteração genética.

Veja também: Cartilha para cuidar de portadores de Down

Top