Mitos e verdades sobre o DIU

Mitos e verdades sobre o DIU

O dispositivo intrauterino, popularmente conhecido como DIU, é um método contraceptivo colocado cirurgicamente na cavidade uterina. Estima-se que 16 milhões de mulheres em todo…

Por Isabella Moretti em 29/09/2013

O dispositivo intrauterino, popularmente conhecido como DIU, é um método contraceptivo colocado cirurgicamente na cavidade uterina. Estima-se que 16 milhões de mulheres em todo o mundo fazem uso do artefato que previne gravidez.

O DIU é um método que evita a fecundação. (Foto:Divulgação)

A presença do DIU dentro do corpo da mulher faz com que o endométrio se torne hostil aos espermatozoides, impedindo assim que ocorra a fecundação.

Existem, basicamente, dois tipos de DIU: o inerte, que não libera substâncias e é apenas constituído de polietileno e o ativo, que contém metais e hormônios para aumentar o desempenho do contraceptivo.

O DIU se revela uma alternativa prática para a mulher, afinal, ele não requer tanta disciplina como acontece com as pílulas orais.

DIU: mitos e verdades sobre o método

Confira a seguir uma seleção com mitos e verdades sobre o DIU e esclareça as principais dúvidas:

O DIU é infalível.
Mito. O DIU é um método contraceptivo muito eficaz, mas como todos os outros ele também pode falhar. A taxa de falha é de 0,2% ao ano.

O DIU de cobre é mais eficiente.  
Verdade. Um corpo estranho dentro do útero faz com que o ambiente se torne hostil para os espermatozoides e impede a fecundação.

Depois de retirado, o dispositivo não prejudica a fertilidade da mulher. (Foto:Divulgação)

O dispositivo intrauterino diminui a fertilidade depois de retirado.
Mito. O retorno da fertilidade acontece de forma muito rápida e sem problemas.

Virgens não podem usar o DIU.
Verdade. Mulheres virgens não são submetidas a procedimentos que invadem demais a vagina. Ela precisa iniciar a vida sexual se prevenindo com pílula ou camisinha.

O DIU atrapalha o sexo.
Mito. O DIU tem um fio bem fino que auxilia a retirada, mas este componente não atrapalha a penetração e nem a sensação de prazer da mulher.

O dispositivo intrauterino pode alterar a menstruação.
Verdade. O DIU tem a alteração no ciclo menstrual como um dos seus principais efeitos colaterais. A mulher também pode sofrer com sangramento prolongado e com cólicas mais intensas.

O DIU pode sair do útero e se deslocar para outra parte do corpo, como cérebro e coração.
Mito. O dispositivo dificilmente sai da cavidade uterina, mas quando sai, não se desloca além do abdômen.

O DIU pode ser usado por mulheres diabéticas.
Verdade. No entanto, as mulheres diabéticas possuem mais riscos de desenvolver infecções.

A DST precisa ser tratada para a colocação do DIU. (Foto:Divulgação)

Quem tem DST não pode usar o DIU.
Verdade. A doença sexualmente transmissível precisa ser curada antes da inserção do DIU, caso contrário aumentam as chances da inflamação se propagar.

A mulher que nunca teve filho não pode usar o DIU.
Mito. O DIU normalmente é usado por mulheres com filhos porque elas apresentam um útero maior. No entanto, aquelas que nunca foram mamães também podem recorrer ao método para não engravidar.

Top