Mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo

Conheça os mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo. A transexualidade é um verdadeiro tabu, afinal, a sociedade não está preparada ainda…

Por Editorial MDT em 19/03/2015

Conheça os mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo. A transexualidade é um verdadeiro tabu, afinal, a sociedade não está preparada ainda para compreender a insatisfação de uma pessoa com o próprio gênero. Isso gera preconceito, ofensas e até mesmo violência. No entanto, há muitas dúvidas a respeito do procedimento cirúrgico que transforma um homem em mulher e vice-versa.

Mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo. (Foto: Divulgação)

A cirurgia para mudar a forma física de pessoas que já se consideram do sexo oposto é uma intervenção que tem aumentado de frequência, apesar de ainda ser um tipo de cirurgia não muito popular. Infelizmente todos os estigmas que envolvem esse tipo de procedimento acabam fazendo com que ele se torne um processo bastante delicado e cercado por inverdades.

Leia mais: Transsexuais famosos do Brasil e do mundo

Mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo

Entenda mais sobre o assunto e confira alguns mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo:

Crianças podem se submeter ao tratamento

A cirurgia em si não é recomendada para crianças. (Foto: Divulgação)

Mito. De acordo com o Ministério da Saúde, é preciso ter pelo menos 18 anos para poder se submeter às intervenções cirúrgicas na rede pública. O tratamento psicológico e hormonal pode começar mais cedo, a partir dos 16 anos.

É preciso um acompanhamento prévio

O acompanhamento psicológico e a terapia hormonal são permitidos a partir dos 16 anos, no Brasil. (Foto: divulgação)

Verdade. Não basta apenas decidir se submeter à troca de sexo, é preciso, por lei, passar por uma avaliação multiprofissional e seguir o acompanhamento com especialistas por pelo menos 2 anos, antes de realizar a cirurgia de troca de sexo. Na equipe estão inclusos psiquiatras, psicólogos, urologistas, ginecologistas, endocrinologistas, cirurgiões plásticos, mastologistas, fonoaudiologistas, otorrinolaringologistas, assistentes sociais, equipe de enfermagem e equipe ética e jurídica.

Tornar-se “mulher” é mais fácil

A modelo Lea T fez a cirurgia de mudança de sexo. (Foto: Divulgação)

Verdade. A cirurgia de redesignação sexual do gênero masculino para o feminino é muito mais simples e pode ser feita em praticamente uma única intervenção, onde é retirado o pênis e reconstruído o canal vaginal.

Já no caso de mulheres que desejam adquirir as características físicas masculinas o processo é mais demorado e delicado, necessitando de cerca de 5 cirurgias para completar o processo. O primeiro passo é a retirada das mamas, o segundo é a retirada do útero, trompas, ovários e estrutura vaginal. O pênis é formado na terceira cirurgia, aproveitando a pele do antebraço. Na quarta intervenção o pênis é posicionado em seu devido lugar e, finalmente, na quinta cirurgia são colocadas próteses penianas e escrotais.

Confira: Entenda como funciona a retirada e reconstrução das mamas pelo SUS.

É difícil mudar a documentação

A filha de Cher se tornou um homem. (Foto: Divulgação)

Mito. Depois que a cirurgia de redesignação sexual já foi feita, as alterações nos documentos oficiais ocorrem de forma bastante simples. Basta apresentar laudos médicos, que comprovem as mudanças físicas. Já nos casos em que a cirurgia ainda não ocorreu, o processo é muito mais demorado e as chances de conseguir as mudanças são menores, apesar de existirem casos nacionais de sucesso.

O SUS oferece cirurgia de mudança de sexo

Hoje, a cirurgia é oferecida gratuitamente pelo SUS. (Foto: Divulgação)

Verdade. O Sistema Único de Saúde já realiza a cirurgia de troca de sexo gratuitamente, contemplando tanto transexuais masculinos como também femininos. Além do procedimento cirúrgico, os pacientes também realizam tratamento hormonal sem qualquer tipo de custo.

Conheça as próteses de silicone para os homens.

Os mitos e verdades sobre cirurgia de mudança de sexo precisam ser esclarecidos para que, tão logo, o tema deixe de ser um assunto polêmico e passe a ser encarado com mais naturalidade. Para desmistificar vale a pena conhecer mais sobre a cirurgia e esclarecer as principais dúvidas.

Top