Mitos e verdades sobre bronzeamento

O Brasil é um país em que a pele bronzeada é bastante valorizada. Entretanto, existem algumas afirmações falsas sobre o assunto que acabam confundindo…

Por Editorial MDT em 07/12/2012

O Brasil é um país em que a pele bronzeada é bastante valorizada. Entretanto, existem algumas afirmações falsas sobre o assunto que acabam confundindo muitas pessoas e resultando em decisões que podem piorar a saúde. Fique por dentro do assunto e confira alguns mitos e verdades sobre o bronzeamento.

Conheça os diferentes métodos de bronzeamento.

Confira alguns mitos e verdades sobre o bronzeamento. (Foto: divulgação)

O bronzeamento é a principal causa de câncer

Mito. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a incidência de câncer de pele nas regiões mais ensolaradas do país, onde a população costuma ficar bronzeada o ano inteiro, é de 3 a 5 vezes menor do que na regiões sul e sudeste, onde as pessoas se bronzeiam apenas em alguns meses do ano.

Na verdade, os dois principais fatores de risco para o aparecimento do câncer de pele é a predisposição genética de pessoas mais sensíveis ao sol, como as de origem europeia, que se encontram predominantemente nas regiões sul e sudeste do Brasil, e as queimaduras solares, que representam uma agressão à pele, bastante comuns no início do verão.

Se bronzear demais pode prejudicar a saúde

Verdade. Episódios recorrentes de superexposição solar podem causar vários prejuízos à saúde, variando desde queimaduras solares graves, aumento do risco de desenvolver câncer de pele e até catarata nos olhos. Durante a infância e adolescência, é importante não se descuidar da proteção solar, pois o prejuízo não é imediato e costuma aparecer anos mais tarde.

Saiba mais sobre o bronzeamento artificial a vapor.

As queimaduras solares estão envolvidas no aparecimento do câncer de pele. (Foto: divulgação)

O bronzeamento artificial é mais perigoso que o natural

Mito. Os aparelhos fabricados dentro das normas estabelecidas por lei e que são submetidos à manutenção adequada, tornam possível o controle preciso do tipo e da intensidade de radiação recebida, que deve se enquadrar dentro das normas internacionais de segurança. Isso significa garantia contra superexposição e queimaduras.

Existem aparelhos para bronzear que são mais fortes que o sol

Verdade. É possível encontrar aparelhos para bronzear com a emissão de radiação mais concentrada que a do próprio sol.  Entretanto, mesmo nesses casos é possível ficar tranquila, porque a quantidade de radiação recebida também estará dentro dos limites de segurança, através do controle do tempo de exposição. O espectro dos aparelhos é bastante semelhante ao sol da manhã, com predominância dos raios tipo UV-A.

Se expor ao sol traz benefícios para a saúde

Verdade. Exposições regulares à luz ultravioleta ajudam a manter os níveis adequados de vitamina D, prevenindo problemas como osteoporose e proporcionando melhor bem estar psicológico, por diminuir os níveis de estresse e depressão.

Não é preciso se preocupar em tomar sol

Mito. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a quantidade recebida de radiação durante os meses de menor luminosidade pode não ser o suficiente para manter os níveis adequados de vitamina D. Realizar exposições regulares é o mais indicado.

Confira os preços de diferentes tipos de bronzeamentos artificiais.

As câmaras de bronzeamento permitem o controle preciso da radiação. (Foto: divulgação)

Manter um bronzeado perfeito pode trazer mais benefícios à saúde do que muitas pessoas podem imaginar. Conhecendo mitos e verdades a respeito do assunto, é possível esclarecer dúvidas e garantir bem-estar.

Top