Mitos e verdades sobre a vacinação infantil

A vacinação infantil é um assunto muito comum entre os pais, em especial para os de “primeira viagem”. Segundo especialistas, até os dois anos…

A vacinação infantil é um assunto muito comum entre os pais, em especial para os de “primeira viagem”. Segundo especialistas, até os dois anos de idade, a criança receberá 33 doses de vacina, que fazem parte do calendário proposto pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Com tantas injeções, muitas dúvidas e argumentos surgem a respeito. Conheça os mitos e verdades sobre a vacinação.

Conheça alguns mitos e verdades sobre a vacina da gripe. 

Vacinar o bebê é uma forma de protegê-lo. (Foto: divulgação)

Saiba mais sobre a vacinação infantil

O surgimento da vacina foi uma grande conquista para a humanidade. Devido a elas, milhões de pessoas são beneficiadas com essa estratégia de saúde, prevenindo dezenas de doenças capazes de causar morte, principalmente na infância. Embora seja uma ótima ajuda para a saúde, muitas pessoas possuem dúvidas sobre as vacinas para crianças. Conheça alguns mitos e verdades sobre a vacinação infantil.

1. As crianças que estão doentes não podem ser vacinadas

Mito. Toda criança deve ser vacinada, independente de estar apresentando alguma doença ou não. Algumas vezes o pediatra sugere esperar alguns dias até que a doença passe, pois as vacinas podem causar algumas reações normalmente. Embora exista essa abordagem, não é necessário esperar.

2. Crianças que apresentam febre, choro ou inflamação após a vacinação, devem ser levadas a um atendimento especializado

Verdade. Algumas crianças podem manifestar sinais clínicos de doença após a vacinação. Quando isso ocorre, é essencial que os pais as levem para um atendimento especializado para afastar qualquer outra patologia grave.

3. A vacinação é um procedimento preventivo

Verdade. A vacinação é uma forma de prevenção de doenças. É importante entender que as vacinas não curam ou combatem patologias, elas evitam que microrganismos afetem o corpo antes de uma doença se manifestar. Por isso, não devem ser usadas como forma de combater alguma sintomatologia característica de doença.

Toda criança deve seguir o calendário vacinal de modo a receber todas as vacinas necessárias. (Foto: divulgação)

4. As doses de reforço da vacina são dispensáveis

Mito. Vacinas contra a pólio, a difteria, o tétano e o coqueluche possuem doses de reforço. Para que a criança esteja imunizada de forma adequada e completa, deve receber todas as doses da vacina.

5. As vacinas garantem 100% de proteção 

Verdade. As crianças que foram vacinadas possuem 100% de imunização contra o microrganismo. Ou seja, elas não estarão suscetíveis às doenças contra as quais receberam vacina.

6. O excesso de vacinação pode prejudicar o sistema imunológico (de defesa)

Mito. O que ocorre é exatamente o oposto. Cada dose recebida permite que o corpo possa montar uma resposta imune, colaborando com a produção de anticorpos contra os microrganismos causadores de doenças.  As crianças devem receber o máximo de doses vacinais possível. Isso garante uma proteção adequada contra os agentes causadores de doenças, evitando graves consequências à saúde infantil.

A vacinação colabora com a prevenção de futuras doenças. (Foto: divulgação)

A vacinação é a melhor forma de proteção contra doenças em crianças. O calendário de vacinas proposto pelo governo deve ser seguido desde o nascimento do pequeno. Essa é a melhor forma de garantir uma boa saúde para seu filho, evitando consequências graves que as doenças podem trazer.

Conheça as vacinas indicadas para cada idade. 

Top