Mitos e verdades da sibutramina

A sibutramina é um medicamento muito usado no emagrecimento e controle do peso. Porém, o uso indiscriminado dessa substância tem crescido cada dia mais,…

A sibutramina é um medicamento muito usado no emagrecimento e controle do peso. Porém, o uso indiscriminado dessa substância tem crescido cada dia mais, o que gera muita polêmica sobre o assunto. Com isso, muitos mitos e verdades foram criados em relação a sibutramina. Saiba mais sobre o assunto.

A sibutramina só deve ser usada com orientação médica. (Foto: divulgação)

Sibutramina

A sibutramina é uma substância usada no tratamento da obesidade, vendida sobre prescrição médica. Sua indicação inicial era como antidepressivo, agindo no sistema nervoso central, principalmente nos neurotransmissores noradrenalina e serotonina. Para que aconteça a perda de peso o medicamento gera no paciente sensação de saciedade e controle da fome.

Segundo especialistas em endocrinologia, a sibutramina deve ser usada por pessoas com grau de obesidade 1 (com IMC entre 30 e 34,9), grau 2 ( IMC entre 35 e 39,9) e grau 3 (IMC acima de 40).

A sibutramina é usada para auxiliar no emagrecimento. (Foto: divulgação)

Veja também como comprar e cuidados com a sibutramina 

Mitos e verdades sobre a sibutramina

1. A sibutramina pode provocar efeitos colaterais.

Verdade. Por se tratar de um tipo distante de antidepressivo, que atua em vários locais do sistema nervoso central, é possível que surjam alguns efeitos colaterais como aumento da pressão, elevação da frequência cardíaca, boca seca, dores de cabeça, insônia e prisão de ventre.

2. Não existem contraindicações para usar a sibutramina.

Mito. Pessoas que sofrem de cardiopatias ou descontrole da pressão arterial não devem tomar esse medicamento. Para esses casos, o mais recomendado é fazer uma dieta balanceada e atividade física.

Continuar Lendo  Como evitar brigas no casamento

3. É possível usar a sibutramina e ao mesmo tempo tomar um remédio para pressão.

Sim. De acordo com especialistas, se a pessoa estiver com a pressão alta, mas controlada, poderá consumir os medicamentos com essa substância.

4. Quem já tomou o medicamento e parou, não pode voltar o tratamento.

Mito. Segundo especialista pode sim. Porém, os efeitos podem não ser os mesmos do primeiro período de tratamento. Não são todas as pessoas que respondem da mesma forma e, se não houver emagrecimento, o ideal é suspender a sibutramina.

5. Quem parar de usar o medicamento pode engordar em dobro.

Mito. De acordo com especialistas, qualquer tratamento para emagrecer, quando é interrompido, pode proporcionar ganho de peso. A questão de engordar dobrado pode acontecer quando ocorre a interrupção de tratamento de hormônios da tireoide. Esse fenômeno é conhecido como efeito rebote.

A sibutramina deve ser aliada a uma alimentação saudável. (Foto: divulgação)

Veja também como a sibutramina age no organismo 

A sibutramina é um dos medicamentos mais utilizados no tratamento da obesidade. Quando usada sobre orientação e prescrição médicas, pode ser muito benéfica e não comprometer o organismo. Porém, quando tomada de forma indiscriminada pode prejudicar a saúde do indivíduo.

Por que o uso da Sibutramina aumentou no Brasil

Segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o consumo de sibutramina no Brasil registrou um aumentado consideravelmente. Essa é uma droga para controlar o apetite, que possui uso liberado, no entanto, com algumas restrições, desde 2011. No entanto, seu uso é proibido na Europa e nos Estados Unidos, pois o remédio pode trazer efeitos colaterais danosos à saúde do paciente. Por que o uso da Sibutramina aumentou no Brasil? Veja o que pode ter ocasionado esse aumento considerável no consumo da droga.

Esse medicamento ajuda no emagrecimento (Foto: Divulgação)

Saiba mais informações sobre: Conheça os melhores remédios de emagrecer

Continuar Lendo  Liraglutida Victoza: Medicamento - Novo Emagrecedor

Por que o uso da Sibutramina aumentou no Brasil?

Para responder a pergunta: Por que o uso da Sibutramina aumentou no Brasil? Precisamos entender que o aumento do uso dessa substância mostra que a população está encontrando uma grande dificuldade em emagrecer e vem recorrendo a esse tipo de substância. Acontece que a sibutramina é uma substância que não faz tão bem á saúde como imaginamos, por isso, vale a pena ficar de olho no seu consumo.

 

Sibutramina o que é

Mas afinal, o de fato é esse remédio? Na verdade, trata-se de um remédio controlado de tarja preta que possui um limite de dose por dia. O paciente que faz o tratamento pode tomá-lo por no máximo dois meses. Há casos em que a sibutramina não faz efeito em quatro semanas, nestes casos o médico suspende a receita.

Sibutramina Brasil

No Brasil, o uso do medicamento é restrito e os profissionais da área da saúde só podem receitar a sibutramina quando o paciente está obeso, com objetivo de inibir o apetite. Seu uso é tão controlado que o médico e o paciente assinam um termo de responsabilidade.

Em números, o uso da substância aumentou no Brasil. Com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, sabe-se que no ano de 2011 foram vendidas 3,7 milhões de caixas de sibutramina. Já nos anos de 2012 e 2013, esse número foi registrado na casa dos dois milhões. Enquanto em 2014, subiu novamente para quase três milhões de caixas.

Saiba mais informações sobre: Como Agem os Remédios para Emagrecer?

 

Aposte no uso de sibutramina (Foto: Divulgação)

Sibutramina mais procurada

Mas por que houve esse aumento no uso da sibutramina? A Anvisa explica: outros inibidores de apetite foram retirados do mercado, por exemplo, houve o cancelamento do registro de medicamentos a base de anfetaminas. Por isso, a sibutramina é a única substância que abranda o desejo de comer e que é uma opção de compra no Brasil.

Continuar Lendo  Efeitos colaterais da sibutramina

Sibutramina: quem pode tomar?

Se tomado com orientação e acompanhamento médico, a substância pode trazer benefícios para o paciente. Porém, nem todo mundo está apto para tomar o remédio. Há restrições para pessoas com problemas no rim e no coração, como palpitações, arritmias e pressão alta.

Há casos de pessoas que tomam o medicamento e apresentam resultados fantásticos de emagrecimento, porém se tornam viciados na droga e se interrompem o tratamento, voltam a engordar tudo de novo ou até mais do que o peso original. A sugestão é que o paciente faça dieta com nutricionista e frequente a academia todos os dias, ou seja, pratique exercícios físicos para manter a perda de peso.

Top